Imagem de divulgação do jogo Asphalt 9: Legends.

Apps da Semana #4: Asphalt 9: Legends é o jogo de celular perfeito

Por
4/8/18, 13h56 6 min Comente

Nota do editor: toda semana, o Manual do Usuário faz um registro dos novos apps lançados dignos de atenção, das grandes atualizações dos mais populares e eventuais promoções. É uma maneira direta e fácil de saber o que acontece com os apps que você usa todo dia ou pode querer instalar em seu smartphone.


Do antológico jogo da cobrinha dos celulares da Nokia aos viciantes e super rentáveis Candy Crush atuais, jogos sempre foram uma constante em dispositivos móveis. Eles servem principalmente para preencher os bolsões de tédio das nossas rotinas. Vez ou outra, até trazem algo além da simples distração. Não é o caso de Asphalt 9: Legends, porém.

A chegada dos smartphones trouxe novas possibilidades aos desenvolvedores de jogos. Só que explorar esse novo universo foi, ao mesmo tempo, um enorme desafio. Havia o poder computacional e o interesse das pessoas por jogos que, até então, estavam restritos a sistemas dedicados, aos video games tradicionais, mas a migração pura e simples dos títulos desses não funcionou. Foram necessárias adaptações, das mecânicas de jogo ao modelo de negócio.

Quase dez anos depois da abertura do iPhone para apps e jogos, Asphalt 9: Legends (Android, iOS e Windows 10), lançado mundialmente no último dia 25 de julho, parece ser o ápice dessa transformação da indústria.

Na nona versão do seu jogo de carrões que fazem manobras e saltos que dão uma banana à física, a Gameloft aperfeiçoou todas as áreas possíveis em um jogo para celular. Ele amarra todas as pontas, agrega todos os elementos que, hoje, transformam um título em sucesso de público e de geração de receita.

Para começar, Asphalt 9: Legends simplifica ao máximo os controles. (É estranho falar em “controles” em uma plataforma que só usa uma tela sensível a toques, não?) O jogo conta com um recurso, que já vem ativado, chamado “Touchdrive”. Resumidamente, com ele o carro acelera e faz curvas sozinho, sem qualquer intervenção do jogador. E só não freia por conta própria também porque, neste mundo maluco, os carros nunca precisam frear — no máximo, você segura o dedo em um lado da tela para fazê-los patinar e, com isso, ganhar pontos e recarregar a barra de “turbo”.

Ao jogador cabe, alem das derrapadas, acionar o “turbo” (tocando do outro lado da tela) e escolher os caminhos quando duas ou mais opções surgem no horizonte. Asphalt 9: Legends ainda é, tecnicamente, um jogo de corrida, mas na prática é um grande QTE, sigla para “Quick Time Events”, um tipo de jogabilidade que se baseia em apertar os comandos certos no momento exato. Ou nem tão exato, porque é difícil perder em Asphalt 9: Legends. Talvez esse seja o verdadeiro desafio do jogo: perder. Eu não consegui perder nenhuma corrida, mesmo naquelas em que deixei meu carro à deriva.

Se o seu carro estiver equipado de acordo com a corrida — e, pelo menos nos três primeiros eventos, o máximo que aguentei, ele sempre está —, a vitória é garantida. Com ela, você ganha cartas, moedas, diamantes, um festival de bonificações que, resguardadas as devidas proporções, lembra a relação esforço-recompensa de ganhar na Mega-Sena, com a diferença de que aqui a vitória é sempre garantida.

Asphalt 9: Legends também tem corridas curtas. O jogador nunca passa mais do que 90 segundos ininterruptos “guiando” seu carro, tempo suficiente para só mais uma corridinha antes de o filme começar no cinema ou de você ser chamado no caixa do banco. Isso é importante para um jogo de celular.

E tudo isso, obviamente, é gratuito. Ou “gratuito”. No jargão da indústria, Asphalt 9: Legends é um jogo “freemium”, o que significa que ele pode tanto não custar nada quanto quebrá-lo financeiramente. O jogo não custa um centavo. Dentro dele, você se depara com uma lojinha onde pode trocar dinheiro de verdade pelas várias moedas do jogo, o que acelera a compra de itens, carros (que, diga-se, só têm o visual diferente, já que a direção é sempre idêntica) e outros penduricalhos. Dependendo do nível de imersão, essa hipótese deixa de ser absurda. Fortnite, outro joguinho “freemium” e muito mais popular que Asphalt 9: Legends, faturou US$ 318 milhões em maio com 125 milhões de jogadores. Vários outros, menores, já quebraram a barreira dos US$ 100 milhões mensais.

Asphalt 9: Legends é o ápice do jogo de celular caça-níquel (o tipo mais comum no topo dos mais baixados): visualmente bonito e com uma trilha sonora surpreendentemente boa, mas insosso e livre de qualquer desafio — com exceção, talvez, de resistir às armadilhas espalhadas pela interface para atacar sem dó o limite do seu cartão de crédito.

Novos apps

Tik Tok
A ByteDance, desenvolvedora de aplicativos chinesa, tinha dois aplicativos muito populares: o Tik Tok, que serve para gravar e compartilhar vídeos curtos, e o Musically, que grava vídeos dublados, tipo karaokê. Notou a semelhança? Eles também. Por isso, o Musically foi absorvido pelo Tik Tok e agora as funcionalidades de ambos estão em um só aplicativo. // Android e iOS, gratuito.

Pocket City
O bom e velho Sim City ganhou uma repaginada moderna, pensada especialmente para dispositivos com telas sensíveis a toques. O jogo é pago, mas não tem qualquer sistema de microtransações ou intervalos de espera obrigatórios. // Android (R$ 8,49) e iOS (R$ 16,90).

LinkedIn Lite
Seguindo o exemplo de outras redes sociais e diversos apps do Google, o LinkedIn também ganhou uma versão “lite”. Segundo a empresa, o aplicativo ocupa apenas 1 MB de espaço, pode reduzir o consumo de memória em até 80% e abre cinco vezes mais rápido que o app convencional. // Android, gratuito.

Promoções

Obscura 2
Este aplicativo de câmera traz alguns controles extras, permite fotografar em RAW e aplicar alguns efeitos. Ele custa R$ 16,90, mas até 25 de setembro será distribuído gratuitamente pelo aplicativo da Apple Store. Basta baixá-lo, rola a página da aba “Descubra” até o final e, no bloco referente ao Obscura 2 (“App em destaque”), tocar na imagem e confirmar o uso do cupom na App Store. // iOS, gratuito.

PDF Expert
Não é todo mundo que precisa de um aplicativo pago para ler e editar PDFs. Se é o seu caso e você tem um computador da Apple, o PDF Expert é uma das melhores opções. Por ocasião do 11º aniversário da Readdle, desenvolvedora do PDF Expert, o app está com 50% de desconto. // macOS, R$ 94,90.

Compartilhe: