Logo do Instagram contra fundo temático com as cores do app.

Apps da Semana #2: O Instagram quer ser a internet

Por
21/7/18, 8h31 5 min Comente

Nota do editor: toda semana, o Manual do Usuário faz um registro dos novos apps lançados dignos de atenção, das grandes atualizações dos mais populares e eventuais promoções. É uma maneira direta e fácil de saber o que acontece com os apps que você usa todo dia ou pode querer instalar em seu smartphone.


O Instagram quer ser a internet. Já faz algum tempo que o Facebook, empresa que detém o aplicativo, investe pesadamente para torná-lo muito mais do que um mero app de compartilhar fotos — a proposta original de 2010, quando o Instagram foi lançado.

Só na última semana, o Instagram:

Na semana anterior, havia liberado uma nova figurinha que facilita aos seguidores fazerem perguntas a partir de Stories, basicamente transformando-o em um ask.fm.

Aliás, uma análise panorâmica torna mais fácil a constatação do tanto de apps que o Instagram se propõe ou é capaz de substituir. WhatsApp? Sim, o Instagram tem chat em texto, inclusive para grupos. Skype? Vídeo chamadas individuais ou em grupo também estão disponíveis. Mercado Livro/OLX? Não é muito difícil encontrar perfis pessoais desovando produtos parados em casa. Sites de e-commerce? A venda de produtos através do Instagram já funciona no Brasil, inclusive. YouTube? O IGTV é uma aposta que mira sem qualquer pudor a plataforma de vídeos do Google. Pinterest? Fotos e vídeos salvos podem ser arquivados em pastas, tudo muito fácil e intuitivo. Snapchat? Sem comentários.

O alto nível de engajamento de que o Instagram desfruta graças à aura, ainda forte, de que as pessoas filtram melhor o que postam ali e aos Stories, que geram recorrência no uso do app, concede ao Facebook uma fundação sólida para testar recursos que em outros locais ou em voos solos não teriam a mesma receptividade.

Essa estratégia, de atulhar um aplicativo popular com funções diversas das originalmente oferecidas, não é nova. O próprio Facebook (o app) tenta algo nesse sentido, hoje com menos sucesso. A maior inspiração, porém, vem do outro lado do mundo. Na China, aplicativos como o WeChat concentram funcionalidades tão diversas quanto úteis, de rede social a carteira digital, passando por clone da Uber.

Vez ou outra se lê pesquisas e análises apontando que os jovens não estão mais usando o Facebook. É uma meia verdade. Afinal, a alternativa pode até não se chamar “Facebook”, mas no fim das contas é do mesmo grupo.

Novos apps

Dribble
A rede social favorita dos designers finalmente ganhou um app para Android. (Ele já existia no iOS.) Não há nada muito diferente do que alguém esperaria de uma rede social com forte apelo visual, exceto talvez por um modo noturno nativo, que troca os fundos brancos pela cor preta. // Android, gratuito.

Listify
Apps de listas de tarefas são bem comuns, existem aos montes. O Listify tenta se destacar com um visual bacana e a oferta de lembretes, categorias e cores para facilitar a organização. De acordo com o desenvolvedor, Yigang Zhou, o app foi feito para ele e sua namorada em apenas três dias, mas ele já avisou que pretende melhorá-lo em breve. // iOS, gratuito.

Promoções

Camtasia com mais de 90% de desconto
Quem precisa gravar em vídeo a tela do computador tem, no Camtasia, talvez a melhor solução do tipo. E das mais caras: a licença custa US$ 249. Pelos próximos dias, porém, o Camtasia estará no “bundle” para streamers de games do Humble Bundle, um site que faz vendas temporárias de pacotes de jogos e softwares, e distribui uma parte da receita obtida com instituições de caridade. Pagando no mínimo US$ 20, você leva o Camtasia — e o SnagIt, app para fazer capturas de telas da mesma empresa. // macOS e Windows, US$ 20.

Apps atualizados

Skype terá gravações de chamadas nativas
O Skype 8 será obrigatório a partir de 1º de setembro. A versão anterior (“clássica”) deixará de funcionar, então é bom se acostumar com as cores, as fontes pesadas e o clone do Snapchat que a Microsoft enfiou na encarnação moderninha do app. O futuro, porém, promete: no fim do ano, o Skype 8 deve ganhar novos recursos muito bacanas, como criptografia de ponta a ponta, recibos de leitura e, o mais legal, gravação das chamadas de áudio e vídeo nativa. Quem comprei um app que faz exatamente isso, há dois meses, por R$ 60!? // macOS e Windows, gratuito.

Netflix na TV
O app da Netflix para TVs ganhou uma reformulação profunda. Agora, ele ficou mais parecido com o do YouTube, com abas laterais facilitando o acesso a áreas e filtros das atrações do serviço. Só faltou um filtro para filmes e séries prestes a sair do catálogo. A nova interface, “baseada em rigorosa pesquisa e testes”, está sendo distribuída gradualmente a todos os usuários da Netflix no mundo inteiro. // TVs, a partir de R$ 19,90 por mês.

Pocket Expense
Não é um app dos mais populares, mas o que eu uso para controle financeiro há uns três anos. A última versão trouxe uma reformulação completa da interface. Adeus menu de hambúrguer, bem-vinda barra inferior para acesso rápido a orçamentos, categorias, calendário e contas. Além de tudo, o visual está mais moderno e agradável de usar. Embora exista uma versão para Android, ela não foi atualizada ainda. // iOS, gratuito (com compra in-app)

Compartilhe: