Mulher segurando um iPhone X branco.

Guia Prático #148: Como nossos smartphones envelhecem

Por
3/2/18, 15h22 1 min 11 comentários

No podcast de hoje, eu (Rodrigo Ghedin), Bia Kunze e Joel Nascimento Jr. debatemos o processo de envelhecimento dos nossos smartphones. Se antes todo smartphone ficava lento com alguns meses de uso, hoje não é mais muito o caso. E a grande vantagem do iPhone, de durar mais, ainda existe e está na dianteira, mas alguns topos de linha Android já conseguem ir além do primeiro ano. Ouça aí!

Se preferir, baixe o MP3 para ouvir depois. E assine o programa, via iTunesou pelo RSS, para não perder nenhum episódio futuro.

Links citados no programa

Foto do topo: Tinh tế Photo/Flickr.

Compartilhe:
  • Edmir Jose da Silva

    Cara, carregamento sem fio so dá pra falar quem usou, usei no Lumia 820 e posterior 930, muito bacana, prático, isso por volta de 2013 / 2014.

  • Breno

    Falta uma terceira opção nessa discussão bipolar iOS ~Android.

    • Yago G. Oliveira

      Eu imagino a quantidade de smartphones que são vendidos e todos com iOS ou Android. Meio triste.

  • Felipe Coutinho

    “Time que tá ganhando não se mexe”, hehe acho que é a frase para a maioria da população brasileira em se tratando de smartphones. Por vários fatores, um deles é não enxergar a necessidade da troca pelo simples fato de “o meu atual faz tudo que aquele ali faz”, e pelo principal fator, o preço.
    Eu possuo um Redmi Note 3 Pro comprado há 1 ano e meio atrás (3gb/32gb/SD650) e me atende perfeitamente, com Android 8.1 instalado e rodando fluidamente perfeito. Depende muito do perfil do usuário também.

  • Diário Barrense

    Trocar de celular constantemente não está na alçada de todos brasileiros. Somente usuários corporativos tem essa prioridade.

  • luis

    Quem tem iPhone consegue de fato, ficar mais tempo com o aparelho por conta da estabilidade do iOS e quando troca, muito provavelmente é por outro iPhone. Isso em tese faz este usuário trocar menos de aparelho. No mundo android o intercâmbio de marcas é maior, seja por não gostar de determinada skin ou marca mesmo. Eu acho que o usuário de iPhone paga caro, mas o gasto se dilui melhor no tempo de uso, além do bom retorno na revenda. A desvalorização no Android é maior e tempo de vida útil é menor. Se formos fazer um conta ao fim de 3 anos, é bem provável que um usuário comum de android tenha gasto mais, mesmo usando aparelhos intermediários. Um usuário que compra um iPhone, geralmente fica com ele por dois, três, até quatro anos, ao passo que, quem compra um Moto Z Play ou um J7, muito provavelmente vai fazer essa troca anualmente. Isso pode ser visto claramente nos grupos de revenda de celulares.

  • Gustavo Saez

    Parabéns por mais este episódio!!
    Queria fazer umas ressalvas de apple maniaco q sou e já usei android e não volto pra ele…
    Ao sr. Joel Nascimento, sobre olhar pro lado e ver um android e “poxa o teu faz isso..?”
    Acho q a Apple sempre foi atrasada nesse quesito por que eles implementam o mesmo sistema posteriormente, porém visando qualidade e não apenas implementar a nova tecnologia por implementar, até antes do Cook assumir, porque agora, mal posso falar de qualidade, só visam dinheiro… cheio de bugs e falhas de segurança que só fazendo de novo…
    Já a srta Bia Kunze, o lance de não conseguir compartilhar com o evernote, pouco depende do iOS, isso o developer do app precisa implementar a integração com apps de terceiros, a apple só traz o pop up e mostra com o que é compatível, se o seu app não tem isso e tem pro android é porque o dev não deve ter colocado integração com o evernote no iOS…
    Só isso mesmo, e um apelo: volta Jobs e salva nois rsrs

  • Ícaro Gonçalves

    Estou com um LG G4 há quase 2,5 Anos. já troquei de bateria porém o aparelho continua com um bom desempenho. câmera boa e com android 7. se a bateria não fosse tão ruim, ficaria mais 1 ano com ele. Pretendo trocar por um flagship pois, realmente duram mais do que os modelos intermediários.

  • Yago G. Oliveira

    Estou com meu Moto G1 ainda, não vejo grandes problemas com ele. Mas o mais interessante é que, com meu aparelho do dia a dia, um moto G4 Plus, eu sinto uma grande necessidade de upgrade para outras versões. iPhone é com certeza um ecossistema que se resolveu bem, mas muitas vezes eu sinto a mesma falta relatada no episódio, o contato com apps terceiros.
    Agora eu vou te lembrar de novo, Ghedin! 33 minutos, a Bia doida pra conversar mais e realmente ainda tinha muitos assuntos; aumenta um pouquinho esse tempo por episódio vai! Por favor!

  • acid boy

    Estou utilizando um moto x 2 até hoje e me atende bem apesar de já estar apresentando sinais da idade como uma bateria que já não dura tanto assim e um certo burn in na tela não tenho motivos para reclamar e só troco ele quando pifar de vez.

  • Guilherme Vargas

    Meu Galaxy Note 3(Snapdragon 800, 3GB de RAM, Adreno 330, 2.3 GHz Quad Core), passou dos 4 anos de vida e segue voando baixo na custom rom lol. Perfeito.