Opções de upgrade do iCloud em um iPhone e um MacBook.

Os 5 GB do plano gratuito do iCloud são insuficientes, mas está tudo bem

Por
28/3/18, 16h46 5 min 23 comentários

Nessa semana, a Apple anunciou um novo iPad básico de olho no público estudantil. Além de descontos na compra do tablet, a empresa subiu o espaço gratuito de armazenamento no iCloud para 200 GB para quem estuda em escolas conveniadas. Foi o suficiente para uma choradeira, como esta do The Verge, sobre o limitado espaço gratuito para os demais, de apenas 5 GB.

O iCloud foi lançado há sete anos e, nesse intervalo, o espaço do plano gratuito nunca mudou. Ele era e ainda é de 5 GB, o que é insuficiente para, arrisco dizer, a maioria dos usuários que fazem backup do seu dispositivo iOS na nuvem da Apple. (Não que eu seja parâmetro de qualquer coisa, mas, na minha conta, que tem iPhone, iPad e MacBook Pro, estou usando 41,2 GB.)

Se colocarmos na conta as fotos, vídeos e documentos, coisas que todos temos, 5 GB não dão nem para a saída. Mesmo assim, a Apple não dá sinais de que aumentará esse número. Convenhamos: a empresa não tem motivação alguma para se incomodar com isso.

Opiniões como a do The Verge se apressam a comparar o iCloud com o Google, onde o plano gratuito traz 15 GB. A comparação, porém, é equivocada. Uma mais correta, ainda que também imperfeita, seria com o Dropbox.

O plano gratuito do Dropbox tem apenas 2 GB porque oferecer espaço gratuito a rodo não é o modelo de negócio deles. O próximo “tier” é de 1 TB e ele custa a partir de US$ 10 (cerca de R$ 32) por mês para pessoas físicas.

No caso do Dropbox, armazenamento e sincronia são os serviços fins que a empresa oferece. No da Apple, é uma nova fonte (crescente) de faturamento que é vista como uma alternativa promissora à estagnação das vendas de iPhone. Em 2017, a divisão de serviços (iCloud, Apple Music e App Store) faturou US$ 30 bilhões, valor superior ao das vendas de iPad e de todos os computadores da marca.

Para as duas empresas, o pagamento é importante. No Dropbox, mais que isso, é vital, pois a empresa depende exclusivamente dele. A Apple, embora seja uma empresa de hardware, tem sido bem sucedida na exploração de serviços. Por esse ângulo, o primeiro plano pago do iCloud (R$ 2,90/mês por 50 GB) é quase um valor simbólico, uma maneira de instigar os usuários a cadastrarem seus cartões de crédito e experimentarem o sistema de pagamento para que, lá na frente, outras compras pontuais e recorrentes, como o Apple Music, filmes e séries da iTunes Store, assinaturas em apps e planos mais generosos no iCloud, aconteçam.

“Ah, mas o Google…” Por mais estranho que possa parecer, Google também é pago, só que em vez de reais ou dólares, a moeda ali são os dados que o usuário deixa a empresa extrair das fotos que envia para lá. O Google tem um grande incentivo para guardar o maior número de fotos — de quaisquer arquivos, na real — possível e, nessa, para remover todos os obstáculos a essa coleta. Inclusive o financeiro, que, como se nota pelo alarde que o plano gratuito do iCloud causa, é um a que as pessoas são bastante sensíveis.

Voltando ao iCloud, o mais surpreendente é ver gente que paga R$ 3 mil em um iPhone reclamando de pagar R$ 2,90 por mês, ou R$ 34,80 por ano, para ter espaço suficiente para fazer backup do aparelho. Quem compra um iPhone tem condição de pagar esse valor mensal.

Alega-se que essa cobrança para uma funcionalidade supostamente básica seria uma ruptura da política de “just works”, ou da experiência premium que a Apple vende. Não parece ser o caso: hardware e iCloud são coisas distintas e, de qualquer maneira, ao bater no teto do plano gratuito do iCloud o usuário é apresentado às opções pagas e, com dois ou três toques na tela, assina um plano e segue a vida.

Aliás, se mais do que 50 GB forem necessários, os preços do iCloud são competitivos: 200 GB sai por R$ 8,90 e 2 TB por R$ 29,90. Esse último é mais barato do que Dropbox e Google cobram por metade disso (1 TB sai por ~R$ 32 no Dropbox e R$ 34,99 no Google).

E nem entramos na questão da privacidade, ou da falta dela, inerente a serviços gratuitos. Como bem colocou o autor do primeiro comentário naquele texto do The Verge:

Comentaristas de tecnologia: é assustador o que temos que ceder da nossa privacidade e dados pessoais para usufruir de serviços gratuitos.

Os mesmos comentaristas de tecnologia: Vamos lá, Google-Amazon-Apple-Facebook, queremos mais coisas gratuitas!

Há muito que pode ser criticado no modelo de negócio da Apple e, sinceramente, é meio chato ter que fazer o papel de advogado de uma empresa que tem (literalmente) centenas de bilhões de dólares em dinheiro guardado. Talvez por isso mesmo esse contexto seja importante: para focar as críticas onde elas são merecidas e necessárias. O espaço limitado do plano gratuito do iCloud não é um deles. A Apple não tem motivação para mudá-lo e para o perfil do consumidor dos produtos da marca, o custo da atualização é irrisório. É, pois, um “não-problema”.

Compartilhe:
  • Victor

    Exato, assinei o plano básico essa semana pro mac e pro iphone. É um valor simbólico de algo que funciona muito melhor dentro do ecossistema apple que os concorrentes, sincronizando muito mais do que seus arquivos dentro de uma pasta.
    A única reclamação fica pro sistema web, que não chega nem perto do Google Drive.

  • Ícaro Gonçalves

    Lembro que a Samsung,LG,Sony e asus, oferecem 200 GB por 2 Anos no Google Drive na compra de um celular novo. A Apple poderia oferecer 50 GB na compra de um novo Device. Ainda mais que Storage não é o “Core Business” da empresa. O Backup da apple é excelente mas, qual é a lógica de vender aparelhos com memórias de 64 Gb e 128 Gb e oferecer no plano gratuito ínfimos 5 Gb para armazenar o backup e fotos. Conheço muito usuários de iphone que armazenam as fotos no google photos pois mesmo não tento o upload automático, não utiliza a franquia de espaço e possui uma busca excelente e precisa.

    • Fábio

      Uma hora esses dois anos chegam ao final.
      Aí você tem lá 180 Gb armazenados.
      Portanto, se não pagar ao final desse período, já era.
      Sua nuvem virou um lindo memorial de lembranças.
      E você se sentirá forçado a pagar por uma coisa que era “grátis”

      • thiagones80

        Mas tudo bem. São dois anos de isenção de valor em um serviço. 213 reais que ok,não são muito mas ao menos te agregaram alguma coisa.

        Não acho que seja algo que define a compra de um iPhone, mas o iCloud hoje é quase uma venda casada. A Apple tem total capacidade de envolver um serviço a mais para seu usuário, mesmo que por 1 ano de isenção. Ou mesmo aumentar um pouco o tier gratuito. O que tem de iPhone usado que se beneficiaria disso….. e não entregaria de bandeja para serviços gratuitos.

      • Ícaro Gonçalves

        Ou em 2 anos você troca de aparelho e ganha mais 200 GB e continua com a promoção. e tenho 1 TB por ajudar com sugestões no google maps. E tem ainda os 1 TB do Onedrive na compra do Office anual que pode sair por uns R$70,00 em promo.

  • “Quem compra um iPhone tem condição de pagar esse valor”. Para uma empresa que cobra valores astronômicos em seus produtos, também teria condições em conceder espaço mais generoso no plano gratuito para clientes que se prestam a pagar tais ‘bagatelas’.

    • Helder

      Justamente. Esse é o ponto.

  • thiagones80

    Não dá pra concordar com esse ponto de vista exatamente por que a Apple é uma empresa de bilhões que vende produtos novos que contam com uma experiência em seu argumento de venda capada num backup parado no tempo. Não é uma questão de pagar uma nota num iPhone X de 256gb e ter dinheiro pra backup. É comprar um telefone de alto valor sem agregar nada a mais e quase casar uma venda. Sim.. venda casada *quase* se aplica nessa situação em um outro ponto de vista.

    Isso para não entrar em todo um mercado de usados com 16Gb rodando (graças a longevidade e qualidade do produto, diga-se) que utiliza o Google Fotos exatamente por isso. A Apple entrega de bandeja pro Google. Nem todos tem $$ sobrando num mercado de usados que vende iphone 5c ainda.

    Por essas e outras que me afasto da Apple…..

  • Thiago Oliveira

    Google Fotos dá tamanho ILIMITADO de armazenamento na nuvem para fotos até 16 megapixels e vídeos full hd 30 (arquivos acima disso são reduzidos para esses patamares). Se eu fosse usuário Apple, instalaria Google Fotos fácil: além de fazer backup, dá pra ver as fotos no Windows, etc.

    • Google Fotos no Windows = web, certo? Isso o iCloud também permite.

      • Thiago Oliveira

        Não, falei Windows de propósito. Pra ilustrar que, até onde sei, o iCloud não permite ver e manipular fotos fora dos produtos Apple.

        • thiagones80

          É possivel sim. Pelo menos a muito tempo atrás eu até cheguei a sincronizar no PC as fotos.

          • Thiago Oliveira

            Você consegue baixar uma cópia das fotos no PC. Mas elas ficam fora de sincronia: se você alterar a foto no PC, ela não altera automaticamente no iPhone.

  • Daniel_ZyFeZ

    Eu ainda uso o iPhone justamente pra não dar meus dados TÃO facilmente pra Google. Tinha receio em assinar o cloud da Apple mas sempre batia no problema das fotos comerem muito espaço, mas nunca quis utilizar o Google Photos justamente pelo motiva que citei anteriormente, então paguei pra Apple.
    Recentemente começou o escandalo dos dados vazados do facebook e do tipo de dado que o google tem dos clientes dele com android. Entrei no meu histórico do Google Maps e não tem praticamente nada lá, tirando um ou outro lugar que busquei para chegar com o Maps, mas não é nem 1% do que os usuários de android entregam pra empresa de Mountain View.
    Eu não acho que sou alguém especial pra proteger esse tipo de dado meu, mas particularmente não me sinto bem colocando todas as minhas informações na cesta de uma única empresa. Até minhas fotos mais antigas eu subi no Flickr como backup…

  • Noah Cezario

    A diferença entre os dados captados pela apple e google é que os serviços do Google são anos luz melhores que o da apple, ex: Maps, Photos etc, imagina um usuário comum, que tem medo de tirar o cartão da carteira, colocar num celular (o que muita gente ainda acha ser inseguro). Mas no fim, acaba sendo a corrida do ecossistema.

    • Em alguns casos os serviços do Google são superiores (Mapas é o mais explícito), mas em outros… não sei. Se você tem um iPhone e Mac, o Fotos da Apple é muito superior, com apps nativos e recursos integrados muito bons. O mesmo vale para outros, como o Notas e o Lembretes. Acho o Apple Music melhor que o Google Music.

      • Noah Cezario

        não há duvidas que os serviços dentro do ecossistema são melhores, até no windows phone é assim. Mas talvez o nosso problema seja não querer pagar por algo mesmo. Volta e meia vejo gente reclamando dos ads do spotify free e se tem algum app pra bloquear. Mas voltando ao assunto, Apple poderia fornecer aqueles 13 GB a mais, mesmo que de forma promocional, tipo como a parceria da Samsung/Dropbox ou Motorola/Google.

        Ex. eu pago o Office anual e tenho os 1T do OneDrive que me servem bem (uso só 18gb).

      • Louis

        Qualquer app de música é melhor que o Google Music.

  • acid boy

    Não seja tão otimista, a Apple não seria trouxa de não usar seus dados, mesmo pagando eles ainda usam seus dados para alguma coisa mesmo que jamais admitam. Toda empresa faz isso, se quer segurança faça backup em um HD externo

  • Carlin

    Interessante tocar no ponto de privacidade, muita gente usa o Google Fotos, seja ele usuário de iOS ou Android, porém parece que esquecemos o quanto estamos sendo “usados” para usufruir desse beneficio, o Google precisa de dados para analisar e treinar sua IA, as fotos que subimos quase que sempre pra nuvem do Google “de graça” é a matéria prima que o algoritmo usa! Bom, é uma via de mão dupla, ganhamos “espaço infinito”, abrindo mão daquilo que fotografamos! :D

    • Noah Cezario

      o ponto mais interessante dessa troca pra mim é o acesso que meus pais ganham, não preciso ensinar pra eles a baixar um app pra subir as fotos e ter outro pra ver essas fotos, tá tudo em 1 só e com um search simples, eles acham fotos da ultima reunião de família. Talvez eu veja tudo com copo meio cheio.

  • Eliézer José Lonczynski

    Não tem como não defender um beneficio maior para o usuário e ainda chamar de choradeira. Stop

  • Louis

    A comparação já começa errada, pois, a Samsung, concorrente direta, já começa com 15gb gratuitos.

    Fora isso, defender isso para um serviço que nem é tão bom é estranho.