iPhone 6 ou 6s sobre um MacBook Pro aberto.

Android e iOS deveriam oferecer relatórios sobre como usamos os nossos apps

Por
8/2/18, 12h02 5 min 7 comentários

Em 2018, as empresas de tecnologia estão sofrendo uma pressão enorme, vinda de todos os lados — inclusive de acionistas —, para que tornem seus produtos menos viciantes. É uma demanda tardia e muito válida, mas difícil de ser convertida em soluções práticas que realmente ajudem os usuários.

Uma das melhores ideias que vi até agora é a criação de relatórios de uso dos apps. Com as ferramentas atuais, é difícil saber quanto tempo as Stories do Instagram ou o feed do Facebook consomem; quando nos lembramos de ver o relógio, o que não ocorre sempre, é comum tomarmos um susto. De qualquer forma, esse susto é pontual e não permite ter uma visão ampla do problema.

Um relatório que abrangesse um período maior daria essa visão ampla do modo como usamos o celular. Um mês ou mesmo sete dias já geraria dados suficientes para uma amostragem relevante, a partir da qual mudanças de atitude e estratégias diferentes poderiam ser tentadas. Se em sete dias você passou, sei lá, oito horas usando o Instagram, é motivo para ligar o sinal de alerta e dar uma segurada? Ter o dado exato de quanto determinado app nos exige é uma informação poderosa para mudar hábitos e melhorar a qualidade de vida.

Os sistemas móveis não têm nada parecido com isso. No caso do iOS, as estatísticas de bateria se aproximam do que imagino aqui e até oferecem alguns insights. Elas estão em Ajustes > Bateria.

Ali, são oferecidos relatórios diários e semanais do uso da bateria. Com um toque na lista, ela revela os tempos “na tela” e de “fundo”, sendo o primeiro o tempo total em que o app esteve aberto e, portanto, sendo usado. É essa a informação que interessa.

Telas de estatísticas de uso da bateria no iOS 11.
Meus dados de uso da bateria.

Descobri, por exemplo, que tenho usado bastante o Twitter/Tweetbot (3,2h nos últimos sete dias) e o Instagram (2,3h). Safari e Mail, que julgava serem os apps que mais uso no dia a a dia, ficam para trás — têm 1,8h e 51 minutos, respectivamente.

(Em sete dias, por exemplo, usei o app do relógio durante 30 minutos. Eu abro ele pelo menos duas vezes por dia, antes de dormir e ao acordar; eventualmente, programo algum timer também. Nada significativo, só uma curiosidade mesmo!)

Essa lista pode ser melhor? Muito! Começando pela própria apresentação, que, por ser orientada à bateria, classifica os apps pelo consumo, não pelo tempo de uso. Um botão que invertesse a classificação pelo tempo de tela seria uma pequena melhora.

O ideal, mesmo, seria app dedicado. Ele traria mais dados sobre como cada app é usado. Por exemplo: em quais horários uso mais o WhatsApp? Em quais horários uso mais o celular? Quais os caminhos e relações mais comuns entre apps que eu uso com mais frequência?

Desde sempre existem aplicativos utilitários que ajudam a entender e melhorar o funcionamento do próprio smartphone — mesmo que, na maioria dos casos, com resultados questionáveis. Considerando as infinitas diferenças que existem entre um gadget e um ser humano, ainda assim acho que falta algo que ajude a nos educarmos melhor na relação com o dispositivo.

Existem apps de terceiros que trazem esse relatório, como o Moment (iOS),m mas pela natureza sensível desse tipo de informação, seria mais seguro e privado que ela fosse apresentada pelo próprio sistema e, de preferência, sem qualquer sincronização ou comunicação com a nuvem. No iOS 12 ou Android P, talvez? A esperança é a última que morre.

E o Android?

Prints do Android 7 em um Galaxy S8 mostrando as estatísticas de uso da bateria.
Obrigado pelos prints, Thiago “Thiagones” Augusto!

Dei uma olhada em como o Android trata e exibe as informações de bateria. Infelizmente, não é algo tão didático como o equivalente do iOS e está limitado ao ciclo atual da bateria, ou seja, sem um período longo como os sete dias que a Apple monitora.

Entre as várias informações específicas de cada app, acessíveis ao tocar em um na lista de consumo da bateria, aparece uma que, aparentemente, se refere ao uso efetivo do app: “CPU em primeiro plano”. De qualquer forma, é preciso tocar em cada app, o que torna aquela visão ampla a que me referi impossível, e a limitação temporal de apenas um ciclo também não contribui para alcançá-la.

Existe um app, porém, que parece estar bem próximo do ideal que imagino: o sugestivo App Usage. Não usei e não sei quem faz, então não sei se há respeito à privacidade ou qual o modelo de negócio dele. Se testar, diga aí nos comentários o que achou.

Compartilhe:
  • Douglas Ullmann

    No Android eu uso o QualityTime. Ele mostra estatísticas de uso diário, semanal e a frequência de acessos a cada app e desbloqueios de tela. Dá para comparar com dias/semanas anteriores por meio de gráficos. Também é possível configurar alertas de tempo de uso de cada aplicativo. https://uploads.disquscdn.com/images/c3f17e0b8a4be94de8da776f031eca203a89e271112aa66343994c658d3b082c.jpg

  • Gertrudes, a Lhama Morta

    Nos Sony, tem o Lifelog(da pra baixar em qualquer Android). Ele registra dados de uso por categoria (mídia, social, etc), e da pra definir limites (mas não sei o que ele faz quando atinge o limite, pra falar a verdade).

    É um App bem bonitinho e bacana, e também da pra pegar dados de exercícios físicos com ele

    • O Lifelog também registra outras coisas, não? Usei ele alguns anos atrás, quando testei uma daquelas pulseiras fitness da Sony. Na época, achei o app bem bagunçado :/

      • Gertrudes, a Lhama Morta

        É, a “dashboard” dele mostra o tempo gasto em caminhada/ciclismo/corrida, uso de apps, e se não me engano batimentos cardíacos.

        Não sei quando tu usou, eu mesmo faz acho que um ano que não uso. Mas ele tinha recebido uma atualização que tinha melhorado muito ele, acho que um pouco antes do lançamento do Nougat.

  • Tenente Figueiredo

    Em outras palavras: querem que o dono do bar pague a internação do bebum.

  • Eu uso, no Android, no Windows e, no Chrome, a versão gratuita do RescueTime. Ele monitora o uso não apenas de apps, programas etc., como também de sites. A partir destes dados, ele classifica o tempo de uso, automaticamente, em algumas categorias, que já são pré-definidas, mas podem ser personalizadas. Já uso tem algum tempo e me auxilia bastante a analisar sobre como tenho gasto o meu tempo para melhor gerenciá-lo. Uma mão na roda. https://uploads.disquscdn.com/images/c58c8715b8bb04ca002c95583b4fb46cc4107820460a56bce9c862341095b98b.png