Post livre #112

Por
2/2/18, 16h26 1 min 48 comentários

Um pouco mais tarde que o habitual (compensamos essa diferença na segunda-feira), mas o post livre chegou! Para quem não conhece, é um post sem conteúdo, apenas para abrir os comentários e podermos conversar ali embaixo.

Compartilhe:
  • Breno

    Enfim, o Windows 10 é mais usado que o Windows 7 o/

    • Aldo Cintra

      Uma dúvida minha nunca sanada: qual dos 2 é mais leve?
      Meu notebook estava muito lento (também pudera, o comprei em agosto de 2010), e fiz um upgrade nele que o mudou da água para o vinho (tinha 3gb de ram, agora tem 6gb), e, consequentemente, mudei o W7 de 32x para 64x. Mas fiquei na dúvida se valia a pena mudar para W10, mas como tinha me acostumado ao W7, resolvi não “evoluir”.
      E a dúvida persiste, repito, qual os 2 é mais leve/rápido?

    • binho_0

      Me deparei aqui, FINALMENTE, com uma coisa q o Windows 10 resolveu: se vc programar seu note pra funcionar no máximo ligado na tomada e programado pra funcionar no mínimo qdo desplugado, ele altera as configurações sozinho agora! Isso fazia muita falta. Acho q tem alguém cuidando dos detalhes do Win10 com carinho e atenção agora. É um detalhe, mas é importante pra fazer a bateria durar mais.

  • Frederico

    Caros, vocês investem a graninha que sobra no fim do mês? Quero sair da poupança, estou de olho nos robôs (Vérios, Monetus e Warren) e talvez alguma coisa que tenha uma liquidez de 6 meses 1 ano para planejamentos de curto prazo. O que vocês fazem?

    • Will S.

      Abri minha conta na Monetus, foi a melhor avaliada pelo pessoa de um grupo no facebook, ainda não cheguei a depositar, mas pelo que já vi é bem simples, vc responde umas perguntas e eles te colocam num perfil investidor e fazem todo o resto.

      • Frederico

        Vc se incomoda de passar esse grupo?

        • Will S.

          Eu perguntei no tecnogrupo (é do tecnoblog), não tem muito em comum com finanças, mas o pessoal manja

    • Do meu pequeno conhecimento, LCI tem um bom rendimento, seguro e nao paga imposto de renda. Acho otimo pro medio prazo (considero 3 anos com medio prazo)

      A base do LCI eh o CDI. O de bancos comuns (banco do brasil, por ex.) pagam muito mal, 80% do CDI. Eu fiz uma conta no Intermedium e la tem um retorno melhor, pq salvo engano eles pagam 100% do CDI.
      Modal tem um rendimento bom tambem.

      CDB eh uma boa se quiser curto prazo. Ainda fora dos bancos mainstream.

      Isso tudo, claro, em renda fixa E certeza de ganho, porem ganhos pequenos. Confesso que nao conheco o suficiente pra investir em bolsa, mas sugiro investir em fundos de investimento.
      Alguma criptomoeda eh bom tambem.

      ** perdoa a falta de acentos, o teclado eh todo errado aqui, tou configurando ainda hahah

      • tuneman

        Guria, acho que faz meses que você têm reclamado desse teclado! hahaha

      • Em corretoras tem bastante CDB que paga acima de 100% do CDI em períodos médios (três anos) e sem um mínimo muito alto (R$ 5 mil). Pesquisando bem, dá para encontrar uns negócios bem bons em renda fixa.

    • tuneman

      Se minha mulher estiver empregada (que não é o momento) eu consigo uma renda líquida de uns R$1000 pra gastar ou investir como quiser.
      Eu tenho um bom investimento no Sicredinvest e Poupança (fiz na época, pois concorria a premios e adivinha quem não ganhou…).
      Queria guardar essa grana pelo menos mais 1 ano pra investir num Uno Fire e em mais viagens.
      Mas agora fica complicado com essa instabilidade que ela está passando….
      [edit]
      Alias, só pra deixar claro, não ganho muito não.
      Essa grana que eu investi foi da minha rescisão do antigo trabalho e o que sobrou do seguro desemprego. =P

    • Gabriel Arruda

      Eu uso Vérios e consegui um rendimento de 12% esse ano e, segundo eles, tem liquidez de 3 dias para liberar a grana se necessário. Em geral, estou satisfeito, mas não avaliei muito outras possibilidades ainda.

      • Frederico

        Estou pensando em dividir uma parte com verios, que parece mais conservadora, e outra com a monetus, que parece ser mais ousada. Só ainda não o fiz porque tenho um pouco receio de tirar meu dinheiro da CC.

        • Não sei como é nessas outras, mas na Warren você consegue criar duas ou mais aplicações na mesma conta com perfis de investimento diferentes. (Tem uma escala de 1 a 5, que aumenta a fatia em renda variável quanto mais próximo de 5.)

          Receio eu teria em deixar dinheiro na conta corrente. Você está perdendo dinheiro!!

          • Frederico

            Ah, interessante isso da Warren, não ficou claro para mim se na Monetus ou Verios tinha isso.

            Como você guarda/aplica seu dinheiro, Ghedin?

    • Por ora, só tesouro direto (que, no fundo, é uma espécie de poupança que rende o mínimo do mínimo). Quando tiver mais tempo e mais trocados sobrando, penso em algo melhor.

    • binho_0

      Curto prazo: jogos. Aposte tudo em jogos (ou vc ganha ou vc perde, é bem simples). Ou vc pode criar pirâmides financeiras: retorno garantido! É só fazer uns vídeos com ferrari (alugada) e uma casona (alugada airbnb). Vc tende a ficar ricaço, mas a polícia vai atrás de vc tão logo seus ‘clientes’ façam observações maldosas a seu respeito. Este último é um investimento de alto risco. Falando sério: os vídeos q esses caras das pirâmides fazem são os piores: como as pessoas caem nessa furada!?

      • Frederico

        Teve um scam violento de criptomoedas fake por essas bandas
        Nem sabia que tava rolando até ver a matéria da apreensão dos caras, acho que tinha até gente da polícia envolvida

  • Will S.

    Quando saíram de casa foram pra onde? Morar sozinho? República? Com os amigos? E por qual motivo? Tô pensando em fazer isso para ter um pouco mais de paz (divido quarto com duas crianças), iria morar com mais dois amigos e dividir o quarto com um, o gasto será um pouco maior do que já tenho em casa, mas deve compensar pelo silêncio.

    • tuneman

      dá vontade de chorar só de recordar as experiencias que tive.

    • Frederico

      Vim morar com uma tia, iniciar faculdade em outra cidade (3k km de distância uma da outra). Mudar de cidade — e casa — certamente foi a coisa que mais me fez bem até hoje.

    • Ranner Barbosa

      Eu moro com minha avó, irmão, tio (filho da minha avó), a esposa dele, e é um INFERNO rs. Sobre mudança, acho que depende do que você esta disposto a tolerar sabe? Eu sou extremamente independente. Enquanto o meu irmão que é 2 anos mais velho que eu (ele tem 25 e eu 23) deixa com que minha avó faça absolutamente tudo para ele, seja limpeza, comida ou lavar as roupas, eu faço absolutamente tudo sozinho e gosto disso pois faço do meu jeito e procuro sempre a melhor maneira de faze-los. Dito tudo isso, caso eu me mudasse seria muito difícil eu me mudar e morar num local com outro jovem nessa idade igual a minha, pois a maioria dos que tem condição de sair das casas do pais nessa idade geralmente (repito, GERALMENTE) já vem de uma classe média, sei la, então não estão acostumados em fazer eles mesmos as tarefas que eu citei anteriormente, logo, eu me irritaria muito com casa desarrumada, louça suja, casa suja, essas coisas. Então, caso você vá dividir local com outro individuo, é bom trocar uma ideia com ele sobre limites, afazeres, estipular regras de convivência, entre outras questões, se não a tal “paz” raramente pode vir.

    • Morei um tempo com minha irmã e, depois, sozinho. Isso entre 2007 e 2008. Aí voltei a morar com meus pais para, em 2013, sair de novo e ir morar sozinho. Acho que depende muito do perfil. Eu gosto muito de silêncio e de ficar só, então nunca cogitei morar em república. As dos meus amigos da segunda faculdade eram caóticas — divertidíssimas quando os visitava, mas acho que ficaria maluco morando em uma.

      • Sempre tive a mesma sensação em repúblicas.

    • Paulo Pilotti Duarte

      Eu nunca morei sozinho. Quando eu saí de casa foi pra morar com a minha namorada da época. Moramos juntos, tive uma empresa, terminamos e eu fali. Com 30 anos voltei a morar com a minha mãe e estou até o momento (35). Como eu moro com meu irmão (19 anos), a dinâmica é completamente diferente de caso eu tivesse 19 e ele tivesse uns 3 anos.

      Assim, atualmente, são 3 adultos morando no mesmo lugar (o que pra mim é ótimo, porque eu trabalho em casa e as vezes fico dias sem sair de casa, contato humano é bom, quem se diz antissocial e que viveria sozinho sempre [uma coisa é trabalhar o dia todo em escritório e chegar em casa e ficar sozinho, outra é ficar sozinho o tempo todo] tem problemas psicológicos ou nunca ficou sozinho de fato).

      Minha mãe mora aqui faz um bom tempo, veio pra cá pra morar com a minha avó,. falecida, que na época tinha 87 anos e não podia mais morar sozinha. A casa é bem grande (4 quartos) e tem espaço de sobra, porém é velha e precisa se muita manutenção, a ideia é, até o meio do ano, comprar um apartamento pra e a minha mãe ir morar comigo dessa vez hahahaha.

    • binho_0

      esse silêncio vale ouro, mas não é todo mundo q tolera. e a oportunidade de ficar consigo mesmo… idem.

    • Eu quase fui pra rua lol 😂 Acabei indo morar com minha avó. Demorei uns anos pra morar sozinho mesmo.

  • João Vitor

    Entre ódio e amor com a Apple.

    Comecei a usar o iMessage/FaceTime com uma pessoa próxima (porém, que mora bem longe). Atualmente o único dispositivo que tenho da Apple é o iPad (que uso como PC também), durante o dia uso WhatsApp (para conversar com essa pessoa porque ela não tem Telegram) normalmente e na noite a dupla de serviços da Apple, é loucura trocar o conforto de manuesear um celular pequeno pelo iPad, mas eu tenho minha justificativa (ou quase isso kk): O iMessage é praticamente o que o MSN seria se continuasse existido, tem como mandar textos que se mechem, o barulhinho da mensagem enviada, os emojis, as formulinhas, tudo tão MSN… Fora que posso deixar o smartphone de lado ao imves de usar dois devices ao mesmo tempo. E, apesar da qualidade da câmera do iPad ser pior que a do meu smartphone (que já não é muita coisa também), acaba funcionando melhor e sendo mais fluído pelo FaceTime.
    O ideal seria eu ter um iPhone, mas não tenho dinheiro, e mesmo que tivesse não trocaria de smartphone só para fazer chamadas de vídeo sendo que eu posso usar outro dispositivo.

    Agora eu entendo o porquê que lá fora eles amam tanto isso.

    Mas nem tudo são flores. Gravei uns vídeos no celular e queria passar para o iPad, editar no iMovie e depois enviar para o YouTube. Normalmente sempre uso o Telegram como ponte entre iOS/Android, existem outros apps específicos pra isso, mas me dei bem com o Telegram, pois uso toda hora e acaba sendo mais prático. Porém os vídeos que queria enviar totalizavam 2gb, o que seria demorado para fazer upload. Então passei os videos para o PC, instalei o iTunes, passei para o iPad pelo menu filmes/vídeos e adivinha só? Eu conseguia abrir os videos apenas pelo app “vídeos” do iPad, impossibilitado de exportar para outros apps (iMovie)1!1!1

    Me rendi a um app aleatório de compartilhamento na App Store, que demorou mais de meia hora para transferir os arquivos.

    Depois consegui editar no iMovie (era uma analise do próprio iPad kk), tinham vários arquivos de áudios que eu regravei várias vezes cada palavra e ajustei um por um, demorei horas, quando cheguei na última parte do vídeo, ajustei o áudio, confirmei e o aplicativo simplesmente BUGOU. Começou a exibir o conteúdo fora de ordem da timeline (assim que se chama?), tirou do lugar tudo e definiu o meio do projeto como o final do vídeo. Fechei o app, mas continuou o espaço dele transparente na tela de multitarefas, reiniciei o aparelho, ao abrir tive que reorganizar tudo do 0.

    “It just works” eles disseram.

    Ao menos consegui finalizar e pretendo nunca mais usar o iMovie para projetos do tipo, se for algo complexo, usarei o LumaFusion (que custa os olhos da cara).

    • tuneman

      Lá nos EUA eles usam muito iMessage, criou-se um mercado…..a Europa é menos dependente desse recurso.

  • Gabriel Arruda

    Perguntei aqui sobre uma câmera algumas semanas atrás e dando o retorno (não solicitado), eu comprei uma Canon T6: https://www.fastshop.com.br/loja/camera-digital-canon-eos-rebel-t6-preto-eost6-fast

    O mercado realmente está mais restrito, com produtos tendendo mais ao high-end mesmo. Nesse cenário, essa DSLR de entrada pareceu interessante, apesar de não ser das mais elogiadas tem um bom custo/beneficio por ser fabricada aqui.

    Para quem tinha uma point and shoot antiga ou smartphone, o avanço é considerável de qualidade e abre muitas possibilidades. Vou aprender um pouco sobre fotografia e ver onde eu chego com as fotos de bijuteria e, também, talvez eu tenha um novo hobby.

    Assim como monitor externo e fones de ouvido, acho que câmera é uma daquelas coisas que a gente sacrifica em prol da portabilidade e acaba esquecendo quão bom é um device dedicado. Claro que você não vai anda todo dia com uma câmera, mas pensando em uma viagem, penso que talvez eu pudesse ter comprado um para última…várias “cenas” perdidas pela limitação do smartphone.

    • binho_0

      Por mim andaria com a minha todos os dias quando fosse sair de casa e ainda carregava na mão. Perco tantas boas fotos.

      Olha, vc comprou uma câmera legal, porque dá pra trocar as lentes e atender a necessidades diferentes (uma macro paras bijuterias e uma para andar por aí).

      E são duráveis essas câmeras se vc cuidar bem delas. A minha já tem dez anos e funciona muito bem.

  • Uma curiosidade com o público tecnófilo daqui:

    vocês gostam de museus e outros espaços expositivos? Quais acham mais interessantes? Quais frequentam? Quais gostam menos?

    • Sou um frequentador meio turistão — no MON, aqui de Curitiba, só fui uma vez desde que me mudei. Gosto, mas com aquela curiosidade e distanciamento de quem não entende muito e contempla a coisa de um ponto de vista bem ignorante.

      • Nunca estive em curitiba, mas o mon me deixa bem curioso. Fico imaginando os malabarismos para conservação das obras expostas com aquele janelão atraindo tanta radiação solar.

        • binho_0

          tem vidro q bloqueia bem. é um museum glass muito foda, anti reflexo e q protege dos raios solares. é bem caro e não sei se as instituições daqui usam. presumo q não.

        • Frederico

          Você fala do OLHO?
          Lá dentro, na única vez que fui, era bem escuro. Era quase um fumê aquilo

    • Frederico

      Gosto de grandes museus, principalmente quando viajo para SP/RJ. Lamento um pouco não ter ido ao museu da lingua portuguesa pré incêndio, nem sei se já voltou a operar.

      Aqui em bsb vou pouco, apesar da oferta ser até interessante já que várias instituições públicas tem sua própria galeria também, como os tribunais, camara, senado.

      • binho_0

        Quando fui, há muitos anos, tinha um bom uso de vídeos e telas. Tinha uma boa interação tb. Era sobre a história da língua portuguesa e destaque para Guimarães Rosa num dos andares. O incêndio, que além de matar uma pessoa, quase destruiu a histórica estação da luz não entrou na conta do descaso que o governo paulista tem por educação e cultura. Foi um acidente… quase uma coisa inevitável. Pobre brigadista e pobre de nós. O museu pegou fogo num dia q estava fechado, mas poderia ter sido num dia cheio de crianças.

        • Frederico

          Pois é, foi uma tragédia a morte do brigadista. A tecnologia com muito esforço se recupera (e imagino que esse museu consiga doações). Mas a vida…

          Pelo street view visitei alguns espaços internos dele e achei bem interessante. Nas oportunidades que estive em são paulo, não dei mta atenção para ele porque achava que era de ruim acesso, mas tb nem sabia que ficava na estação da luz.

    • binho_0

      bom, eu gosto e frequento sempre q possível.
      gosto de todos aqui de sp e dos q visitei em outras cidades (sendo o inhotim o mais espalhafatoso e incrível de todos).
      meus prediletos são a pinacoteca e o mam. tive meus primeiros contatos com arte nesses dois museus. mas foi decisiva uma exposição q eu vi no mam, com o expressionismo alemão original e as influências por aqui. depois disso tudo veio junto: cinema, literatura, teatro…
      não tem um q eu goste menos, mas o q eu menos visito com o certeza é o museu da casa brasileira. eu queria ir mais ao mis e ao mube… e ir em galerias (q eu vou menos por achar meio afetado).
      o q eu sinto falta nos museus daqui é justamente tecnologia. ela teria uma espaço interessante, mas geralmente qdo está presente é uma coisa meio descolocada. o museu do amanhã se aproximou mais disso e até q ficou interessante, mas muito restrito as questões museográficas e não de interação…
      nas suas viagens vc trombou com algo muito foda?
      eu trabalho numa instituição cultural e sinto falta em não conhecer as experiências dos museus internacionais.

      • também não frequento galerias (seja por não ter dinheiro pra comprar nada daquilo, seja pelo clima esnobe e blasé)

        o MIS eu frequento muito pouco. Eles têm um acervo fantástico, mas acho que se renderam às mega-exposições midiáticas e acabaram ignorando o potencial do próprio acervo. Escrevi alguns comentários sobre a exposição do steve jobs que eles receberam no ano passado: https://arquiteturaemnotas.com/2017/07/01/sobre-a-exposicao-steve-jobs-o-visionario/

        já o mube… é uma pena que aquele espaço tão interessante tenha ficado tanto tempo subutilizado (mas isso está na gênese do museu).

        sobre o uso de tecnologia: acho que os grandes museus internacionais têm usado muito bem recursos tecnológicos, na web e em redes sociais, sem cair naquela pirotecnia que a gente via no museu da língua portuguesa ou vê naquele centro cultural em belo horizonte da vale (e que eu particularmente não gosto muito). O MoMA tem um acervo interessante de video-games, por exemplo, e recentemente incorporou o conjunto original de emojis.

        • binho_0

          até me animei de estudar mais o assunto ‘museu e teconologia’, mas parei. na instituição q eu trabalho seria difícil levar adiante essa discussão e, no mercado brasileiro, tirando uma outra experiência, não tem espaço. o q os museus fazem é contratar uma empresa q pode dar uma solução pontual ou, como fez a pinacoteca, servir de espaço de marketing para ações do tipo – sem ganho algum para o acervo, para os visitantes ou para instituição de um modo geral…

          tb acho q o mis tá indo por um outro caminho, mas, sei lá, se isso criar um público afeito aos museus, ótimo. pq se o cara foi ao mis e rompeu a barreira de ir a um museu ali, pode ser q ele se anime em continuar e ver os outros museus da cidade. o mis fez uma bela exposições de games há alguns anos. levei minha sobrinha lá e curti bastante.

          o moma faz coisas incríveis na internet. talvez a internet seja o espaço de salvação dos museus daqui para abrirem espaço pra tectonologia, mas os museus públicos tem pouca grana e, pelo q noto, não tem muito diálogo com as universidades para colocarem, por exemplo, alunos de exatas e humanas trabalhando juntos em projetos de exploração do acervo. poderiam brotar disso APIs interessantes, novas formas de ver o acervo em realidade virtual etc etc etc. as instituições privada tb poderiam liberar uma grana pra fomentar isso, mas esse ambiente ainda não existe, infelizmente.

  • binho_0

    Caros, comentei em outro momento q estou de licença médica (quebrei um dos dedos do pé) e ficar aqui em casa de bobeira por tanto tempo, coisa q não fazia há anos, me fez sentir ou achar necessário um desses assistentes pessoais. Não pra fazer coisas, evidentemente, mas pra esclarecer algumas dúvidas pontuais q surgem e q me fazem ter q ir ou ao note ou ao celular pesquisar por texto mesmo. Tb queria um tipo de auxiliar enqto cogito algumas coisas, mas realmente não sei em q nível Alexa ou o assistente do Google estão. Vi alguns vídeos no youtube e tirando coisas interessantes como pensar numa canção e ela tocar qdo vc pedir, o q mais daria pra fazer bem? Obviamente pensando em comandos e respostas em inglês, o q pra mim não seria problemático. Alexa dot e o mini assistente do google até q são pagáveis. Tem a questão da privacidade, claro, mas não penso em deixá-los ligados 24h.

    • Frederico

      Minha tia tem usado bastante a assistente do celular porque para ela é mais rápido do que digitar (ela cata milho no teclado). Confesso que acho estranho, mas para ela tem se mostrado interessante, principalmente esse ponto de tirar dúvidas que você comentou. Acho que um uso muito interessante seria de gravar notas e compromissos. Fora isso, não sei

  • binho_0

    Vi essas duas palestras essa semana e recomendo aos amigos:

    https://www.youtube.com/watch?v=hL9uk4hKyg4

    https://www.youtube.com/watch?v=GhF7Skyx0F8

    Tem outras boas palestras e conversas como esta que fala dos problemas ambientas que a agricultura cria no mundo com uma ótima visualização de dados. Conversa esta que interessaria demais aos brasileiros (de esquerda e direita), mas que por aqui, pelo menos do q eu noto, passa batido.

    https://www.youtube.com/watch?v=9gUbmSl87bM

  • Ranner Barbosa

    Existe alguma extensão pra navegador que permita você personalizar o seu feed do seu facebook, por exemplo, fazendo com que apenas fotos apareçam?

    • Acho mais fácil fazer uma lista no Twitter 😅 E não conheço nenhuma extensão pra essa personalização do Facebook 😕

    • binho_0

      Clica em fotos e seu problema está resolvido.