O preço do iPhone nunca subiu tanto no Brasil como em 2018

Por
31/10/18, 15h12 4 min Comente

A Apple aproveitou os anúncios dos novos MacBook Air, Mac mini e iPad Pro nesta terça (30) para revelar os preços dos novos iPhone no Brasil. O mais barato, o iPhone XR, custa a partir de R$ 5.199. Nunca o iPhone encareceu tanto entre uma geração e outra no país.

Há anos o Manual do Usuário acompanha a variação de preços do iPhone no mercado local. Descobrimos, por exemplo, que o iPhone 7 foi o primeiro (e único) que teve redução de preço e que convertendo os valores em dólares, o iPhone 4S foi o mais barato que já tivemos (US$ 1.026,49), entre outras coisas.

(Antes, alguns “poréns”: os preços em dólar são referentes à cotação no dia do anúncio ou lançamento dos produtos no país. Em todos os cálculos não foram levados em conta essa variação cambial nem a da inflação, mas em alguns essas diferenças são informadas.)

Em 2018, a Apple colocou o preço dos iPhones no país em um novo patamar. O iPhone XR, o sucesso direto do iPhone 8 (uns dizem que poderia ser chamado “iPhone 9”), ficou 30% mais caro que seu antecessor.

Gráfico mostrando evolução de preços do iPhone no Brasil, 2010 a 2018.
Variação de preços do iPhone 4 ao XR. Gráfico: Rodrigo Ghedin/Manual do Usuário.

No acumulado dos últimos 12 meses contados a partir de setembro de 2018, a inflação no Brasil foi de 4,52% (IPCA). O dólar entre o lançamento do iPhone 8 (3/11/2017) e o anúncio do preço brasileiro do iPhone XR (30/10/2018), subiu 11,81%.

Antes disso, o maior aumento percentual tinha sido o do iPhone 6s, em 2015, no auge da crise brasileira e com o dólar batendo R$ 3,81 no dia do lançamento do produto — o maior da série histórica — e o IPCA acumulado dos últimos 12 meses em 10,47% — o terceiro maior desde o início da medição do índice. O preço de lançamento do iPhone 6s era 25% maior que o do seu antecessor, o iPhone 6.

Considerando o preço do dólar nas datas de anúncio dos preços brasileiros do 8 e XR (R$ 3,30 e R$ 3,69, respectivamente), o aumento percentual foi de 16,27%. Convertido em dólar, o preço brasileiro do iPhone XR também é o mais caro de todos os tempos: US$ 1.408,94. Do iPhone 4 de 2010 até o iPhone 7, último a manter o preço-base de US$ 649 nos Estados Unidos, o iPhone brasileiro custava em média US$ 1.266,62.

Tabela com vários detalhes do preço do iPhone no Brasil e em dólar.
Tabela com detalhes do preço do iPhone no Brasil. Tabela: Rodrigo Ghedin/Manual do Usuário.

O iPhone encareceu nos Estados Unidos também, mas a um ritmo muito mais ameno que no Brasil. Lá, o iPhone 8 teve um salto de 7,7% em relação ao 7 (de US$ 649 para US$ 699) e o iPhone XR, de 7,15% (US$ 749). Aqui, esses aumentos foram de 14,3% e o já citado recorde de 30% para o iPhone XR.

Não há mais dúvida de que a Apple encareceu toda a sua linha e, com isso, pretende afunilar o seu público-alvo. Os novos MacBook Air e iPad Pro também são mais caros que seus antecessores. E nem falemos do iPhone XS…

Ou melhor, falemos sim. Concentrei-me no iPhone XR porque, para efeitos práticos, ele é o sucessor direto do iPhone 8. Uns dizem até que ele deveria ser chamado “iPhone 9”, dada a similaridade com o antecessor. O iPhone X não entra na nossa planilha de acompanhamento porque, na visão da Apple, de analistas e minha, ele inaugurou uma nova categoria, não tendo paralelo nos modelos anteriores a 2017. Talvez valha acompanharmos isso também: o iPhone XS custará a partir de R$ 7.299 no Brasil, ou seja, R$ 300 ou 4,28% mais caro que o iPhone X.

Foto do topo: Apple/Divulgação.

Compartilhe: