WhatsApp terá suporte a chatbots e APIs para terceiros

Por
31/1/18, 16h08 2 min 3 comentários

A Via Varejo, empresa dona das marcas Casas Bahia, Extra e Pontofrio, anunciou na semana passada que está participando dos testes da versão do WhatsApp para grandes empresas, ao lado do Itaú e da KLM.

Não confundir com o WhatsApp Business, que se destina a pequenas e médias empresas. Trata-se de outra solução, que prevê uma escala de atendimento muito maior. No período de testes da Via Varejo, iniciado em 15 de dezembro último e com previsão de término para o primeiro trimestre de 2018, a empresa trabalha com 110 mil clientes. Ao lançar o novo canal de forma oficial, o número deve aumentar substancialmente.

Para lidar com todo esse volume, a empresa conta com apenas 20 funcionários humanos, auxiliados por chatbots. Essa informação chamou a minha atenção: até hoje, o WhatsApp não tinha qualquer tipo de suporte a inteligência artificial e/ou chatbots.

Por e-mail, a assessoria da Via Varejo confirmou que, sim, está usando a nova tecnologia, e que “o WhatsApp está acompanhando de perto todo esse processo e retorno dos nossos clientes e não fizeram nenhum impeditivo para o uso de chatbot”.

Não fazia sentido o uso de inteligência artificial quando o WhatsApp era apenas para comunicação entre pessoas. Na mesma medida, faz total sentido a implementação deles em empresas que lidam com milhares de requisições e clientes simultaneamente. De outra forma, a operação seria inviável.

A assessoria da Via Varejo também disse que o recurso “está sendo desenvolvido em parceria com empresas especialistas em implantação de BOT e NLP”, o que confirma algumas suspeitas levantadas pelo Mobile Time — de que haverá uma API para que terceiros integrem ferramentas à plataforma do WhatsApp e que os chatbots conseguirão ler mensagens em linguagem natural, talvez para não aumentar a complexidade das interações.

Até hoje, a presença de chatbots era um grande diferenciador do Facebook Messenger em relação ao WhatsApp. Ambos são da mesma empresa.

Compartilhe:
  • O Telegram é referência global quando se trata de bots, e contém bem mais ferramentas e possibilidades que a concorrência. O Facebook por sua vez tem lá suas limitações. Se isso realmente ocorrer, esperamos que façam algo de forma certa dessa vez (e que seja aberto ao público, não só à empresas).

  • Jêremy

    Se todos que usam telegram fizessem entrar no serviço seus amigos e familiares… logo todas as empresas pequenas ou grandes poderiam economizar em seus atendimentos usando Telegram, Essas grandes corporações só usam o Whatsapp pq é o que o povo mais usa e o povo só usa whatsapp porque a maioria das pessoas não sabem o que o Telegram Faz, se soubessem sem dúvida usariam o Telegram e o Whatsapp… e como tempo deletatriam o Whats e ficariam só com Telegram(que é mil vezes melhor)

    • PinPortal ✔️

      As empresas não iriam economizar. Se o telegram fosse o favorito, com 1,5 bilhão de usuários e não 170 milhões (como tem atualmente), ele poderia se dar ao luxo de cobrar as empresas.

      E não ache que pagar para o whatsapp é algo ruim ou caro para essas multinacionais. É MUITO mais barato ter 20 funcionários comandando o sistema do whatsapp da empresa, além do pagamento feito ao Whatsapp, do que manter um prédio com milhares de funcionários de telemarketing atendendo os clientes. É óbvio que na fase inicial as empresas vão manter ambos em paralelo, porem o objetivo e gradativamente substituir um pelo outro e gerar menor custo, aliado a comodidade ao cliente.