Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

Pelo menos 175 pessoas morreram e outras 200 ficaram feridas nesta terça-feira em uma série de atentados suicidas coordenados na cidade de Kahtaniya, a oeste de Mosul, no Norte do Iraque, informou o Exército iraquiano. Segundo as primeiras informações, teriam sido usados três caminhões de combustível nos ataques contra a comunidade da seita milenar yazidi, grupo minoritário que vive na região.

O Norte do Iraque, de maioria curda, concentra grandes reservas de petróleo e era uma das áreas mais resistentes ao governo sunita de Saddam Hussein.

Seita pré-islamismo

Os yazidis são membros de um grupo curdo pré-islâmico e vivem no Norte do Iraque, na Armênia, na Síria, no Irã, na Turquia e em outros países. Há, ainda, refugiados vivendo nos EUA e na Alemanha. No Iraque, eles enfrentam discriminação porque o principal anjo que veneram como manifestação de Deus é freqüentemente identificado na terminologia bíblica como Satã, o anjo caído.

Os yazidis dizem ter sofrido massacres durante o regime de Saddam.

Em abril, 23 operários yazidis de uma fábrica de Mosul foram mortos, em uma aparente retaliação pelo apedrejamento, semanas antes, de uma adolescente yazidi.

De acordo com a polícia, a jovem fora morta pelos próprios yazidis porque se apaixonara por um muçulmano e se convertera ao Islã. TVs do mundo todo mostraram as terríveis cenas da morte da adolescente.

Em outro incidente na terça-feira, cinco militares dos EUA foram mortos na queda de um helicóptero CH-47 Chinook, durante um vôo de rotina perto do quartel Al Taqaddum, na região de Falluja, 50 quilômetros a oeste de Bagdá.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]