A revista francesa Closer informou nesta sexta-feira (17) que a atriz Julie Gayet, 41, é amante do presidente François Hollande, 59, desde 2011, quando ele era pré-candidato do Partido Socialista ao Palácio do Eliseu. A publicação é a mesma que revelou o suposto caso entre os dois na semana passada.

A revelação fez com que a atriz entrasse com uma ação judicial contra a revista e levou Hollande a ameaçar outro processo. Após a publicação da reportagem, a atual namorada do presidente, a jornalista Valérie Trierweiller, foi internada em um hospital de Paris.

Segundo a Closer, os dois se conheceram em 2011 e, desde então, passaram a se ver em diversos locais. Após a chegada dele à Presidência, o casal de amantes teria começado a se encontrar perto dos escritórios de produção da atriz, em Faubourg Saint Honoré, na capital francesa. Em junho, ainda de acordo com a publicação, os dois começaram a se ver na casa de Gayet depois que a porteira do prédio da produtora tentou fotografá-los. O prédio da atriz é onde foram realizadas as fotos publicadas pela "Closer" na semana passada, em que Hollande chega ao local em uma motoneta pilotada por um guarda-costas.

A revista ainda acusa o presidente de desistir de uma viagem de verão com Valérie Trierweiller na Grécia, para ir a Tulle, onde se encontrou com a amante. Na visita, ele foi apresentado a familiares da atriz.

Em relação às fotos publicadas na semana passada, a revista diz que Hollande passou as madrugadas de 30 de dezembro a 2 de janeiro no apartamento de Gayet. Após a exibição das imagens, a namorada oficial pediu explicações ao presidente, que reconheceu o romance, e, em seguida, foi internada.

Processo

Nesta semana, Julie Gayet abriu um processo contra a Closer, pedindo 54 mil euros (R$ 175 mil) por invasão de privacidade, além de direito de resposta na capa da publicação. Ao comentar a ação judicial, a revista disse que pretendia "abrir um debate sobre o direito ao segredo da vida privada do presidente".

Caso confirmadas as datas expostas pela reportagem, Hollande conheceu Gayet um ano após declarar pública sua relação com Valérie Trierweiller. A atual namorada foi o pivô de outro caso de infidelidade do presidente, desta vez com a socialista Ségolene Royal, de quem se separou em 2007. As revelações sobre o suposto caso dominam o noticiário na França, mas não alteraram a baixa popularidade de Hollande, afetada principalmente por medidas de austeridade tomadas para diminuir a crise financeira e a ocupação militar do Mali e da República Centro-Africana.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]