i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
gripe

Buenos Aires decreta emergência sanitária por conta da nova gripe

Prefeito pediu que a população tente ficar em casa. Ministério da Saúde conta 26 mortes em pacientes do vírus no país

  • PorReuters
  • 30/06/2009 14:12

A cidade de Buenos Aires declarou nesta terça-feira (30) emergência sanitária, uma tentativa de controlar o avanço da gripe H1N1, que já provocou a morte de pelo menos 26 pessoas na Argentina.

Mauricio Macri, prefeito da capital do país, recomendou aos habitantes de Buenos Aires permanecer nas suas casas o maior tempo possível.

A medida tomada nesta terça visa coordenar com outras instituições a luta contra a gripe, e não ordena o fechamento de lugares públicos como cinemas, restaurantes ou centros comerciais.

"Isso tem o efeito único de coordenarmos desde a Secretaria de Saúde da cidade todos os recursos físicos que temos em Buenos Aires, que os sistemas público e privado funcionem coordenados", afirmou o prefeito Macri.

A propagação da doença colocou em situação de quase colapso a vigilância sanitária e hospitais públicos.

Macri anunciou a medida pouco depois de cinco distritos nacionais, incluindo a capital federal, suspenderem as aulas por causa da doença.

A suspensão de aulas também foi adotada pela província de Buenos Aires, onde vive um em cada quatro argentinos, e as províncias de Santa Fé, San Luís e Santiago del Estero.

O governo federal não atualiza os dados nacionais sobre a epidemia desde sexta-feira, quando somava 26 mortos e 1.587 infectados. Os meios de comunicação desde então falam em mais mortos e infectados.

Na segunda-feira (29), renunciou a ministra da Saúde, Graciela Ocaña, que deixou o seu cargo justamente quando chega o inverno, o que facilita a propagação da doença.

A Argentina é o terceiro país com mais mortos por causa do vírus H1N1, atrás de México e Estados Unidos.

As máscaras que os argentinos viam com estranheza há poucas semanas quando a gripe H1N1 começou no México já são moeda corrente em Buenos Aires.

Muitos sanitaristas cobram que se declare emergência sanitária nacional, uma medida que está sendo analisada. Isso permitiria reforçar o orçamento para combater a epidemia, equipar hospitais e proibir grandes aglomerados de pessoas.

A Argentina teve eleições legislativas nacionais no domingo, quando estavam habilitadas 28 milhões de pessoas para participar.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.