A China será paciente ao tentar avançar com negociações com a Coreia do Norte, disseram os meios de comunicação estatais citando o ministro das Relações Exteriores chinês, quando ele repetia um pedido de consulta de emergência para aliviar as tensões na península coreana.

Washington, Seul e Tóquio não mostraram muita empolgação em resposta a um pedido de Pequim para negociações de emergência com a Coreia do Norte. Estados Unidos, Coreia do Sul e Japão temem que abrir discussões com o país será visto como uma recompensa depois dos ataques de artilharia de Pyongyang a uma ilha sul-coreana.

A China quer que os seis países envolvidos em negociações sobre as ambições nucleares da Coreia do Norte - a China, os EUA, o Japão, a Rússia e as duas Coreias - se reúnam e discutam o ataque norte-coreano.

"Apesar de as negociações ainda não terem recomeçado, achamos que é a hora certa para ter negociações de emergência entre os chefes de delegação da seis partes", disse o ministro das Relações Exteriores chinês, Yang Jiechi, à agência de notícias oficial da China, Xinhua.

"Continuaremos a fazer esforços pacientes para persuadir as partes a começar consultas", disse Yang.

As tensões na península só serão aliviadas "se todas as partes demonstrarem sua sinceridade e fizerem esforços conjuntos", acrescentou ele.

A China, que sediará as negociações, tem tentado manter-se neutra no ataque à ilha sul-coreana.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]