i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Contra o narcotráfico

Colômbia e EUA retomam exercícios militares

    • Estadão Conteúdo
    • 16/09/2020 08:45
    exercício militar eua colômbia
    Fuzileiros navais dos EUA em exercício militar na mata da Colômbia, em 8 de outubro de 2019| Foto: Sgt. Stanley Moy/Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA

    Colômbia e EUA retomarão exercícios militares aéreos e marítimos contra o narcotráfico no Caribe, informou nesta terça (15) a Força Aérea Colombiana. As ações começam na sexta-feira (18) e terminam na segunda-feira (21). Segundo o Comando Sul dos EUA, as manobras têm como objetivo "neutralizar as atividades ilícitas a serviço do crime de narcotráfico internacional".

    Os exercícios serão realizados na área marítima de Coveñas. Composta por 53 efetivos, o grupo interrompeu suas atividades no começo de julho, quando o Congresso colombiano fez uma reclamação formal de que as ações não tinham sido autorizadas, como determina a lei que trata do "trânsito de tropas estrangeiras" no país.

    O governo da Colômbia decidiu, porém, retomar as ações da brigada em 20 de julho, por considerar ser óbvio a cooperação dos americanos nas ações contra o narcotráfico. O presidente Iván Duque planeja reforçar sua luta contra o tráfico de drogas em razão do aumento da violência em algumas regiões do país.

    Pelo menos 218 pessoas já morreram em 55 massacres registrados neste ano, de acordo com o observatório independente de violência Indepaz. Somente após 11 de agosto, 64 pessoas foram mortas em 15 ataques. As autoridades colombianas responsabilizam pela violência os grupos que financiam a produção de cocaína exportada para EUA e Europa.

    Em troca da ajuda contra o crime organizado, a Colômbia acompanha os EUA em sua ofensiva diplomática e comercial para forçar uma mudança de governo da Venezuela, que mostra preocupação com as atividades dos dois países na fronteira e com os exercícios militares no Caribe.

    Os EUA realizam já há algum tempo voos de inteligência na fronteira entre Colômbia e Venezuela, uma região onde está localizado grande parte do equipamento russo de defesa antiaérea operado pelos venezuelanos. Por enquanto, não foram registrados incidentes.

    Deixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.