i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Iêmen

Comorenses na França dizem ter alertado sobre empresa aérea

Aeronave caiu nas proximidades do Oceano Índico com 153 pessoas a bordo. Maioria dos passageiros pertencem a grande comunidade comorense da França

  • PorReuters
  • 30/06/2009 15:38
Mulher de Comores chora em Paris após saber que parente estava na aeronave iemenita que caiu com 153 pessoas a bordo | Mehdi Fedouach / AFP Photo
Mulher de Comores chora em Paris após saber que parente estava na aeronave iemenita que caiu com 153 pessoas a bordo| Foto: Mehdi Fedouach / AFP Photo

Em luto pela queda de um Airbus nesta terça-feira (30) nas proximidades do arquipélago do Oceano Índico, cidadãos de Comores expatriados disseram ter reclamado às autoridades francesas na semana passada sobre a operadora iemenita da aeronave que caiu com 153 pessoas a bordo.

Integrantes de uma associação criada na França para reclamar sobre as condições de viagem para Comores acusaram a companhia aérea Yemenia de manter um padrão baixo ao longo de anos.

"O acidente era previsível", disse Farid Soilihi, presidente do grupo "SOS-Viagens para Comores", denunciando o que chamou de aviões sujos e com manutenção precária.

Stephane Salord, cônsul de Comores em Marselha, disse que há muito tempo ouviu reclamações da maior comunidade de expatriados da cidade sobre as viagens que eram "muito longas, muito caras e muito arriscadas".

O subsecretário da autoridade de aviação civil do Iêmen, Abdul-Rahman Abdul-Qader, rejeitou as acusações sobre as condições do avião.

"Isso não tem fundamento, senão não teríamos permitido que o avião fizesse uma viagem ao exterior. Nós exercemos controle estrito sobre nossos aviões e, se alguma coisa como essa (fosse descoberta), o avião nunca teria obtido autorização para decolar", disse ele à Reuters em Sanaa.

O avião caiu com 153 pessoas a bordo, incluindo 66 franceses. Muitos deles eram famílias pertencentes à grande comunidade comorense da França que viajavam para casa de férias.

O ministro dos Transportes francês, Dominique Bussereau, disse que foram detectadas falhas na aeronave que caiu, um A310-300, durante inspeções realizadas na França em 2007, e que ela fora vetada do solo francês.

Autoridades da União Europeia afirmaram que o avião havia gerado uma investigação dois anos atrás sobre o histórico de segurança da companhia.

O ministro dos Transportes do Iêmen disse que o avião que caiu havia passado por uma verificação completa em maio sob a supervisão da Airbus.

"Foi uma ampla inspeção executada no Iêmen... com especialistas da Airbus", disse Khaled Ibrahim al-Wazeer à Reuters. "Ela estava de acordo com os padrões internacionais."

Faysal Emran, gerente de área da Yemenia em Paris, disse que aparentemente o mau tempo foi a causa do acidente e que não havia problemas com o A310-300.

A Yemenia usou um avião diferente, um A330, para buscar os passageiros em Paris e Marselha antes de transferi-los para o A310-300 na capital do Iêmen, Sanaa.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.