| AHMED TARANH
| Foto: AHMED TARANH
  • Jovem com o rosto pintado no protesto pela comemoração do quarto aniversário da revolução que desbancou Hosni Mubarak do poder
  • Um carro queima depois dos confrontos durante os protesto pela comemoração do quarto aniversário da revolução que desbancou Hosni Mubarak do poder
  • Jovens protestam pela comemoração do quarto aniversário da revolução que desbancou Hosni Mubarak do poder

Pelo menos 14 pessoas morreram neste domingo e 45 ficaram feridas em enfrentamentos entre policiais e manifestantes opositores no Egito no quarto aniversário da revolução que desbancou Hosni Mubarak do poder.

O porta-voz do Ministério da Saúde egípcio, Hosam Abdelgafar, informou à Agência Efe que 12 das mortes foram registradas na região de Al Matariya, nos arredores do Cairo, enquanto uma pessoa foi morta no distrito de Guiza e outra na cidade mediterrânea de Alexandria. Já o Ministério do Interior informou em comunicado que um dos mortos em Al Matariya era recruta da polícia.

Segundo a nota de Interior, durante uma dessas manifestações, que aconteceu no bairro de Al Badrashin, os participantes abriram fogo contra as forças de segurança, deixando um soldado levemente ferido. O Ministério também explicou que os agentes dispersaram outra manifestação na praça de Abdelmoneim Riad, perto da cêntrica praça de Al Tahrir, e detiveram 12 pessoas por supostamente pertencer à Irmandade.

Além disso, as forças de segurança intervieram no bairro de Al Matariya, nos arredores do Cairo, para dispersar outra manifestação. A fonte explicou que os participantes lançaram fogos de artifício contra a polícia, o que causou a destruição de um táxi que estava passado pelo bairro. Duas pessoas também morreram pela explosão de uma bomba na província de Al Beheira, no delta do rio Nilo.

Por outro lado, o ministério de Interior disse que a polícia deteve uma pessoa na província de Al Qaliubiya, nos arredores do Cairo, enquanto tentava colocar uma bomba de fabricação caseira ao lado da delegacia de Abu Zaabal. Além disso, a agência estatal de notícias "Mena" informou que uma bomba de fabricação caseira explodiu em um lance da ferrovia entre Cairo e Alexandria, na altura da cidade de Barakat al Sabaa, o que causou danos que foram reparados pelas autoridades.

Hoje mesmo, o diretor da Autoridade Nacional de Ferrovia, Ahmed Hamed, anunciou a suspensão pela noite de "algumas linhas secundárias" por razões de segurança. Hamed explicou que desde ontem se registraram 17 casos de ataques com artefatos explosivos, incêndios e ataques com coquetéis molotov contra os ferrovias e as estações de trens.

Os festejos oficiais previstos para as celebrações do aniversário foram cancelados esta semana pelas autoridades como gesto de respeito pela morte do rei saudita.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]