Tropas do Estados Islâmico comemoram nas ruas de Sirte. | Reprodução / Youtube
Tropas do Estados Islâmico comemoram nas ruas de Sirte.| Foto: Reprodução / Youtube

O ramo líbio do grupo jihadista Estado Islâmico (EI) anunciou ontem que assumiu o controle total da cidade de Sirte, na Líbia, após vários meses de combates. Os integrantes do EI expulsaram da região os membros da “Falange 166”, aliada do governo rebelde de Trípoli e responsável por proteger a cidade.

Mulheres são vendidas a preço de cigarro pelo grupo, diz ONU

Rapto de escravas sexuais tornou-se uma estratégia do grupo para atrair combatentes estrangeiros.

Leia a matéria completa

Com a conquista, o EI assume o controle de sua primeira cidade no norte da África. O grupo já domina cidades importantes no Oriente Médio, como Raqqa e Palmira, na Síria, e Mossul, no Iraque. Sirte é a cidade natal do ex-presidente líbio Muamar Kadafi, assassinado em 2011 por insurgentes que lutavam para derrubar o governo do país.

O EI continuou ontem sua expansão em direção à cidade de Al Uashka, vizinha a Sirte, novo reduto do grupo jihadista e próxima a Misrata, que fica 200 quilômetros a leste de Trípoli. Pela manhã, militantes do EI tomaram o controle de uma usina elétrica a oeste de Sirte que abastece as regiões central e ocidental do país. As forças islamitas da “Falange 166” se retiraram da usina após o ataque do EI.

Ataque no Iraque

Três militantes do EI disfarçados em uniformes militares mataram ontem oito pessoas em um escritório do governo local em Amiriyat al-Falluja, no oeste do Iraque. Um dos agressores se explodiu dentro do prédio e os outros dois foram mortos antes de conseguirem detonar suas bombas. Outras 17 pessoas ficaram feridas no ataque, incluindo o chefe do conselho do distrito, Shakir al-Issawi, que pulou de uma janela de seu gabinete após a explosão.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]