Islamabad - As forças militares do Paquistão entraram na principal cidade no Vale de Swat, no noroeste do país, onde combatentes do grupo fundamentalista Taleban estão entrincheirados. A busca pelos insurgentes, segundo o porta-voz do Exército do Paquistão, está sendo feita de casa em casa.

O major general Athar Abbas disse que pelo menos 17 supostos militantes do Taleban foram mortos pelo exército em operações militares nas últimas 24 horas. A ofensiva de 30 dias em Swat e nas regiões vizinhas já matou mil pessoas e provocou um êxodo de cerca de 1,9 milhão de pessoas, das quais mais de 160 mil estão em campos de refugiados e as restantes em casas de parentes ou amigos em outras regiões do Paquistão e em habitações alugadas. Na sexta-feira, a Organização das Nações Unidas (ONU) pediu à comunidade internacional US$ 543 milhões para comprar alimentos e remédios para os refugiados.

A captura da cidade de Mingora é um passo crítico nos esforços do governo paquistanês para reconquistar o Vale de Swat e evitar que a região continue a ser um santuário para os militantes do Taleban, que ameaçam a estabilidade do país islâmico. A operação tem o apoio de Washington, já que os insurgentes costumam fazer ataques contra tropas norte-americanas que estão no Afeganistão, a partir da fronteira com o Paquistão.

Ontem, o primeiro-ministro do Paquistão, Yousuf Reza Gilani, descartou estender a ofensiva às regiões tribais semiautônomas da fronteira afegã, onde o Taleban tem fortalezas e esconderijos. O exército paquistanês não deverá começar operações contra o Taleban em outras regiões antes de derrotar o grupo fundamentalista no Vale de Swat, o que não tem previsão para acontecer.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]