i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Terrorismo

Explosão deixa 29 mortos em centro de revolta islâmica na Nigéria

Ninguém assumiu a responsabilidade pela explosão, mas a seita militante Boko Haram, fundada na cidade, tem atacado repetidamente escolas e instalações militares e do governo

  • PorReuters
  • 14/01/2014 13:59

Pelo menos 29 pessoas foram mortas nesta terça-feira (14) na explosão de um carro-bomba na cidade do nordeste nigeriano de Maiduguri, centro de uma revolta islâmica no país maior produtor de petróleo da África, disseram policiais e testemunhas.

Ninguém assumiu a responsabilidade pela explosão, mas a seita militante Boko Haram, fundada na cidade, tem atacado repetidamente escolas e instalações militares e do governo, em meio à repressão do Exército à rebelião de quatro anos do grupo.

O ataque representa um revés para a repressão militar do presidente Goodluck Jonathan, que tinha conseguido temporariamente impedir ataques do Boko Haram em áreas rurais.

A bomba, plantada em um táxi riquexó de três rodas, explodiu no lado de fora das instalações da TV estatal por volta de 13h30, disseram testemunhas à Reuters.

"O ataque aconteceu logo atrás do muro do meu escritório. Contei 29 corpos, incluindo duas crianças e uma mãe. Muitos outros ficaram gravemente feridos", disse Abba Kankami, um jornalista que trabalhava no escritório da televisão estatal.

Outra testemunha, Baba Shiek, disse que contou 30 corpos.

O porta-voz militar Muhammad Dole disse em um comunicado que soldados detiveram uma pessoa suspeita de estar por trás do que ele chamou de "atos odiosos e covardes".

O comissário de polícia do Estado de Borno, Lawan Tanko, disse que 17 pessoas foram confirmadas mortas, mas que o número final de vítimas fatais poderia ser maior.

"Eu vi dois garotos no chão com os corpos cortados em pedaços. Dois outros carros pegaram fogo imediatamente. Eu corri porque havia muito sangue", declarou Aisha Hassan, uma testemunha, à Reuters.

Soldados dispararam tiros para cima para dispersar a multidão antes de isolar ruas em torno do local da explosão, afirmaram testemunhas.

Dezenas de jovens, alguns com facões, protestaram nas ruas depois do ataque, acusando os políticos de não conterem a violência na cidade.

A seita radical luta para criar um Estado islâmico num país dividido igualmente entre muçulmanos e cristãos.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.