i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Argentina

Fernández arquiva expropriação da Vicentin, mas continua apostando na intervenção

    • Gazeta do Povo
    • 22/06/2020 11:46
    argentina vicentin
    Manifestantes protestam contra quarentena e contra a intervenção do Estado na empresa Vicentin| Foto: ALEJANDRO PAGNI/AFP

    O presidente da Argentina, Alberto Fernández, por enquanto, parece ter deixado de lado os planos de expropriação da agroexportadora Vicentin para apostar em uma intervenção compartilhada entre os governos nacional e da província de Santa Fé, pleiteando a ideia na justiça em vez de forçar um caminho pelo legislativo.

    Passadas duas semanas do anúncio da expropriação, o governo não apresentou oficialmente um projeto de lei sobre o assunto ao Congresso - embora contasse como certa uma aprovação por parte do legislativo de maioria peronista. Neste domingo, Santiago Cafiero, chefe de gabinete de Fernández, disse, nas entrelinhas, que a expropriação não é, neste momento, o principal foco do governo em sua tentativa de salvar a companhia estratégica da falência. A aposta está em um plano de intervenção apresentado pelo governador de Santa Fé, Omar Perotti.

    "A proposta que Perotti trouxe é a primeira hipótese de trabalho que temos", disse neste domingo (21) Santiago Cafiero, chefe de gabinete de Fernández.

    O principal objetivo deste "plano B" é afastar a diretoria da Vicentin do controle da empresa. Na sexta-feira passada, o juiz do caso, Fabián Lorenzini, reinstituiu os diretores em seus cargos, afastando os interventores indicados pelo governo de Fernández. Perotti acredita que foam os gerentes da Vicentin que levaram a empresa "ao estado de cessação de pagamentos que motivou a abertura da falência".

    A Vicentin emprega quase 1.300 pessoas e declarou situação de insolvência em dezembro do ano passado. Está devendo 1,4 bilhão de dólares (99 bilhões de pesos) a mais de 2.600 credores – o maior deles é o Banco Nacional, a quem a Vicentin deve 18 bilhões de pesos. O faturamento anual da companhia, que foi a maior doadora da campanha de reeleição do ex-presidente Mauricio Macri, é de cerca de US$ 3 bilhões. A Vicentin ainda é alvo de uma investigação judicial por fraude contra o Estado por ter solicitado créditos ao Banco Nacional pouco antes de pedir falência. Também há uma investigação contra os donos por suposta lavagem de dinheiro e triangulação com base em uma rede de subsidiárias "espelho" no exterior, segundo informou o Clarín.

    Na proposta de Perotti, a Vicentin seria comandada por dois auditores nomeados pelo governo nacional, Gabriel Delgado e Luciano Zariach, e por um indicado pela província, que seria Alejandro Bento, que pertence ao círculo de amigos do governador. Por fim, devido às dívidas com o Banco Nacional, a Vicentin seria transformada em uma empresa mista.

    Mas para que esse "plano B" seja levado adiante, ainda será preciso a aprovação da justiça.

    Fernández disse que se a ideia de Perotti esbarrar no juiz, o governo dará seguimento aos planos de expropriação. A opinião pública, porém, pode se colocar contra ele, visto a mobilização nacional deste sábado contra o avanço do Estado sobre a propriedade privada.

    O que dizem os donos da Vicentin

    Hector Vicentin, acionista e filho de um dos fundadores da agroexportadora, descartou o plano apresentado por Perotti e disse que se trata de uma "expropriação light".

    "Sabemos que temos problemas, mas existem alternativas à expropriação, intervenção e a uma empresa mista. Temos que nos sentar para dialogar e eles precisam nos deixar trabalhar e investir, que é o que sabemos fazer", afirmou Héctor Vicentin.

    O diretor executivo da companhia, Máximo Padoan, também rechaçou a proposta, dizendo que "as novas soluções que vão aparecendo são cada vez piores". "O plano de Perotti é pior que a desapropriação por lei do Congresso, porque desloca os administradores eleitos em assembleia por alguns interventores".

    4 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 4 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.

    • A

      Antonio de Lima Rodrigues

      ± 96 dias

      A Argentina a caminho de ser uma nova Venezuela!

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

      • J

        João Mello

        ± 97 dias

        A Argentina é um regime socialista tal qual o Brasil. Pra que expropriar se você pode taxar e regular como bem entender?

        Denunciar abuso

        A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

        Qual é o problema nesse comentário?

        Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

        Confira os Termos de Uso

        • L

          LC

          ± 97 dias

          Empresários argentinos viram como a mão grande agiu na Venezuela, entretanto, ressonaram em berço esplêndido, ao invés de seguirem novos rumos.

          Denunciar abuso

          A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

          Qual é o problema nesse comentário?

          Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

          Confira os Termos de Uso

          • J

            JJP

            ± 97 dias

            pobre Argentina, populismo sai caro, falar é fácil, fazer é o negócio. Chame o lula para ser ministro aí...

            Denunciar abuso

            A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

            Qual é o problema nesse comentário?

            Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

            Confira os Termos de Uso

            Fim dos comentários.