i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
intolerância

Foto viral mostra policial negro socorrendo neonazista nos EUA

  • PorGazeta do Povo
  • 20/07/2015 13:22
 | /© twitter @RodGodfrey
| Foto: /© twitter @RodGodfrey

Após um fim de semana em que a intolerância racial foi o principal assunto nos Estados Unidos, uma foto que mostra justamente o oposto se tornou viral mundo afora.

Na imagem, captada pelo norte-americano Rob Godfrey e publicada em seu Twitter, um policial negro socorre um homem vestido com uma camiseta com uma suástica -- insígnia associada ao nazismo.

A foto foi feita durante as manifestações do último sábado, na Carolina do Sul, no Estados Unidos. Membros de grupos de supremacistas brancos, como a Ku Klux Klan (KKK), marcharam até o Capitólio da cidade de Columbia para protestar contra a retirada da bandeira confederada (um símbolo da Guerra Civil norte-americana hoje associado ao racismo) do legislativo estadual.

Segundo informações do site “The New York Daily News”, o oficial na imagem é o diretor de segurança pública do estado, Leroy Smith. Um porta-voz de seu departamento disse que “não é incomum o diretor colocar seu uniforme para ajudar as tropas em ações”.

Ao perceber que o manifestante passava mal com o forte calor, Smith não poupou esforço para ajudá-lo.

O homem com a camiseta não foi identificado, mas sua roupa indica que é participante de um grupo neonazista chamado Movimento Nacional Socilista, o maior dos Estados Unidos e classificado como “extremista”.

Tensão

A manifestação de grupos de supremacistas brancos foi anunciada há algumas semana -- o que permitiu a movimentos negros se organizarem em uma espécie de “contraprotesto”. O encontro de grupos como a KKK e os New Black Panther Party (radicais em defesa dos direitos dos negros) gerou tensão nas ruas de Columbia.

Ondeando bandeiras confederadas, algumas delas com o símbolo nazista, integrantes do KKK xingaram os afro-americanos que passavam por ali.

A tensão causada pela proximidade dos grupos fez as autoridades dobrarem a presença de agentes com coletes anti-balas e capacetes.

O evento precisou ser interrompido devido a princípio de confronto entre os grupos rivais.

Bandeira confederada

As manifestações tiveram como gatilho a retirada da bandeira dos estados confederados do Capitólio estadual. A flâmula foi retirada dia 10 de julho, após mais de meio século ondeando como símbolo do passado, ainda não completamente digerido, de segregação e escravidão no sul dos Estados Unidos.

A insígnia voltou a ser motivo de polêmica por causa do tiroteio em uma igreja afro-americana na cidade de Charleston, no norte do estado, em 17 de junho, que deixou nove mortos.

Dylann Roof, autor confesso do massacre, afirmou que seu objetivo era provocar uma “guerra racial”, declarou, e fotos suas enrolado na bandeira confederada foram divulgadas, o que disparou o debate nacional sobre este símbolo.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.