i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Wikileaks

Governo dos EUA promete processar responsáveis por vazar documentos

Investigação criminal do caso já começou, disse secretário de Estado. Casa Branca anunciou novas regras para tratar de papéis classificados

  • PorG1/Globo.com
  • 29/11/2010 12:49

O secretário de Justiça dos EUA, Eric Holder, disse nesta segunda-feira (29) que há uma investigação criminal "ativa e em curso" sobre o vazamento de documentos do governo americano pelo WikiLeaks, e que as autoridades vão processar os responsáveis.

Holder disse que o governo condena o vazamento de aproximadamente 250 mil correspondências de embaixadas e missões diplomáticas americanas, que "põe em perigo não só indivíduos e diplomatas, mas também a relação que temos com nossos aliados no mundo todo".

Para ele, a publicação dos documentos representa "um risco para a segurança nacional" dos EUA.

A investigação criminal é realizada junto ao Departamento de Defesa, para determinar as responsabilidades do vazamento dos documentos.

"Não posso ainda antecipar resultados, mas a investigação criminal está em andamento", disse.

Neste domingo, os jornais "The New York Times" (EUA), El País (Espanha), Le Monde (França), Die Spiegel (Alemanha) e "The Guardian" (Reino Unido) publicaram o conteúdo de 250 mil correspondências diplomáticas dos EUA, com informações delicadas, o que causou controvérsias em nível internacional.

Novas medidas

Ao mesmo tempo, a Casa Branca anunciou que pediu aos órgãos do governo dos EUA que endureçam as medidas de segurança ao lidar com informação classificada, depois do vazamento em massa.

Os novos procedimentos garantirão que usuários não tenham acesso a mais informação do que a estritamente necessária para fazer seus trabalhos.

"Qualquer fracasso na hora de proteger as informações confidenciais (...) é inaceitável e não será tolerado", disse o diretor do Escritório de Orçamento da Casa Branca, Jacob Lew, em uma diretriz transmitida aos chefes de serviço e administrações colocada online nesta segunda no site da presidência americana.

Lew, um dos colaboradores mais próximos do presidente Barack Obama, deu a ordem aos serviços ou administrações que cuidam de informações confidenciais de criar uma equipe para avaliar a questão da segurança.

"É responsabilidade de todos os indivíduos que têm acesso a informações confidenciais proteger os dados capitais para a segurança de nosso país", observou Lew. "Qualquer revelação não autorizada de dados confidenciais constitui uma violação da lei e compromete a segurança do país", acrescentou.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.