i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Fraudes

Impasse aprofunda crise eleitoral no Afeganistão

O grupo que investiga fraudes pretende forçar a realização de um segundo turno, de acordo com informações de pessoas envolvidas

  • PorAgência Estado
  • 19/10/2009 08:56

A crise eleitoral no Afeganistão se aprofundou nesta segunda-feira (19) quando funcionários responsáveis por declarar o resultado final da eleição presidencial de agosto se recusaram a aceitar as conclusões de uma comissão investigativa apoiada pela Organização das Nações Unidas (ONU). O grupo que investiga fraudes pretende forçar a realização de um segundo turno, de acordo com informações de pessoas envolvidas.

A Comissão de Reclamações Eleitorais completou sua investigação na semana passada sobre acusações de fraudes generalizadas e intimidação nas eleições de 20 de agosto. Dois funcionários estrangeiros que viram os resultados afirmam que, com os votos anulados, o presidente Hamid Karzai não possui mais de 50% dos votos, o que forçaria um segundo turno entre ele e o ex-ministro de Relações Exteriores Abdullah Abdullah. As fontes pediram anonimato. Uma delas qualificou as conclusões como "incontroversas".

A Comissão Eleitoral Independente, porém, rejeitou os dados, segundo os funcionários. Esse grupo é controlado por aliados de Karzai. Um porta-voz do presidente disse que ele não se comprometerá a aceitar as conclusões até que elas sejam publicamente divulgadas. Isso ampliou o temor de que Karzai se recuse a ir para um segundo turno.

O atraso na formação do governo, na opinião dos Estados Unidos, dificulta o combate à crescente insurgência do Taleban no país. Pode haver também uma crise política. No fim de semana, centenas de partidários de Karzai protestaram no sul, pedindo a divulgação rápida dos resultados e afirmando que rejeitariam um segundo turno.

A Casa Branca informou que o presidente Barack Obama não enviará mais tropas ao Afeganistão até que um governo "confiável" esteja atuando no país. O ministro de Relações Exteriores da França, Bernard Kouchner, e o senador norte-americano John Kerry estavam em Cabul neste fim de semana para tentar resolver o impasse.

Conclusões

A comissão de reclamações planejava divulgar suas conclusões nesta segunda-feira, segundo uma porta-voz do painel apoiado pela ONU. Não está claro o que pode ocorrer se a comissão eleitoral continuar a rejeitar o relatório. Um porta-voz da campanha de Abdullah disse que a comissão da ONU está "sob ameaça" de Karzai. "As negociações continuam, mas não há acordo." Um porta-voz da campanha de Karzai negou qualquer interferência do presidente.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.