i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Tensão nuclear

Irã diz que programa nuclear seguirá adiante

  • PorReuters
  • 20/10/2009 06:16

O Irã nunca abandonará seu direito "legal e óbvio" à tecnologia nuclear, disse o ministro do Exterior, Manouchehr Mottaki, nesta terça-feira, acrescentando que o país não tem planos de suspender suas atividades de enriquecimento de urânio.

"As reuniões com potências mundiais e seu comportamento mostram que o direito do Irã de ter tecnologia nuclear pacífica foi aceito por elas... O Irã nunca abandonará seu direito óbvio e legal", disse Mottaki em entrevista coletiva.

As negociações entre o Irã e as potências mundiais sobre um acordo para tranquilizar as preocupações sobre o programa nuclear iraniano começaram na segunda-feira em Viena. Elas deveriam ser retomadas na manhã desta terça-feira, mas o reinício foi atrasado, pois representantes dos Estados Unidos, da França e do Irã realizavam pequenas conferências nos corredores.

A razão para o atraso não estava clara.

A reunião, promovida pela Agência Internacional de Energia Atômica, órgão de fiscalização de energia nuclear da ONU, é a primeira chance de trabalhar em cima das propostas levantadas nas negociações de 1º de outubro em Genebra para quebrar um impasse deflagrado pelas suspeitas de que o programa iraniano de enriquecimento de urânio seja um disfarce para a fabricação de uma bomba.

Mottaki elogiou as negociações. O Irã concordou em Genebra, em princípio, em mandar urânio enriquecido em uma baixa taxa para o exterior para que seja processado em combustível para um reator em Teerã que produz isótopos médicos.

"Vemos desdobramentos importantes nas negociações... a continuação das conversas pode levar a um acordo sobre o fornecimento ao Irã de urânio enriquecido em 20 por cento", disse Mottaki.

"O que queremos é nosso direito baseado no Tratado de Não-Proliferação. Ele diz que os países-membros devem receber fornecimento de combustível nuclear para fins pacíficos por aqueles membros que têm esse combustível", afirmou. O Ocidente acredita que essa medida minimizará os riscos de o Irã refinar urânio numa taxa que pode ser usada numa bomba nuclear.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.