Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Fumaça é vista na cidade de Kobani, onde dezenas de combatentes do Estado Islâmico e de forças rebeldes curdas se enfrentam na Síria | EFE/Sedat Suna
Fumaça é vista na cidade de Kobani, onde dezenas de combatentes do Estado Islâmico e de forças rebeldes curdas se enfrentam na Síria| Foto: EFE/Sedat Suna

O grupo jihadista Estado Islâmico (EI) invadiu nesta segunda-feira (6) a cidade curda de Kobani, na Síria, e tomou o controle de um hospital, informou à Agência Efe o porta-voz do Partido da União Democrática (PYD), Nawaf Khalil.

Khalil disse por telefone que os combatentes do EI se encontram no bairro de Meqtel Novo, no leste da cidade, onde enfrentam milicianos das Unidades de Proteção do Povo Curdo.

Do interior de Kobani, o presidente do Organismo Autônomo de Defesa e Proteção desta cidade, Esmat Sheij Hasan, confirmou à Efe em uma conversa por telefone que os extremistas tomaram o controle de um hospital, que tinha sido evacuado anteriormente.

"Os combates se concentram agora em Meqtel Novo e em Kani Arabane. Os mercenários do EI invadiram com tanques, foguetes e todo tipo de armas pesadas, mas nós resistiremos", disse Hasan.

Nesse sentido, Hasan previu uma "batalha longa", porque as forças curdas defenderão cada rua da cidade: "Aguentaremos até que não fique um só miliciano curdo", indicou.

O responsável curdo sírio acrescentou que, além dos confrontos dentro da cidade, também há enfrentamentos nos arredores.

O EI iniciou a ofensiva contra Kobani no último dia 16 de setembro e, desde então, seu avanço foi imparável apesar dos bombardeios aéreos da coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos em suas imediações.

O ataque dos jihadistas originou um êxodo de refugiados curdos sírios à vizinha Turquia e a outras partes da Síria.

Kobani é um dos três principais enclaves curdos do território sírio e limita ao norte com a Turquia.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]