Biggs, em 2001, quando deixou o Brasil | Antonio Werneck/Reuters
Biggs, em 2001, quando deixou o Brasil| Foto: Antonio Werneck/Reuters

Londres - Oito anos depois de se entregar às autoridades britânicas, o ladrão britânico Ronald Biggs, famoso por sua participação no assalto a um trem postal em 1963, poderá sair da prisão em julho, quando autoridades do sistema penitenciário do Reino Unido se reunirão para analisar o caso do assaltante. Pela lei britânica, ele já pode pleitear a liberdade condicional.

Biggs, 79 anos, tem requisitado a libertação desde sua volta ao Reino Unido, em 2001, alegando idade avançada e estado frágil de saúde – ele já sofreu vários derrames. Atualmente está no hospital-prisão de Norwich, onde se recupera de uma pneumonia.

Os pedidos sempre foram negados e, até o ano passado, Biggs ainda estava em um centro de segurança máxima de Londres, que também abriga suspeitos de terrorismo.

Condenado a 30 anos de prisão pela participação no roubo do trem pagador postal britânico, em 1963, Biggs fugiu da prisão em apenas 15 meses. Depois de passar por Espanha e Austrália, seguiu para o Brasil, onde ficou por três décadas.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]