i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
oriente médio

Liga Árabe e Hamas acordam discutir na ONU a situação de presos palestinos

No dia 17, mais de mil presos palestinos em prisões israelenses iniciaram uma greve de fome para protestar por suas condições de detenção

  • PorEFE
  • 29/04/2012 16:19

O secretário-geral da Liga Árabe, Nabil al Araby, e o líder do movimento palestino Hamas, Khaled Meshaal, acordaram neste domingo (29) apresentar às Nações Unidas o tema dos prisioneiros palestinos em greve de fome retidos em prisões israelenses.

Após a reunião mantida com uma delegação do Hamas presidida por Meshaal, Al Arabi disse aos jornalistas na sede da organização pan-árabe no Cairo que decidiram "internacionalizar o tema dos presos palestinos e árabes presos em Israel que entraram em uma greve de fome há 12 dias".

Meshaal afirmou que Al Arabi prometeu convocar uma sessão extraordinária da Assembleia Geral da ONU para tratar deste assunto, assim como apresentá-lo perante organizações internacionais humanitárias.

O líder palestino também afirmou que é preciso "pôr fim às violações israelenses" dos direitos do povo palestino e libertar o restante dos presos retidos em Israel.

No dia 17, mais de mil presos palestinos em prisões israelenses iniciaram uma greve de fome para protestar por suas condições de detenção.

Os réus pedem o fim das penas de isolamento, permissão para as visitas de familiares de Gaza e aqueles da Cisjordânia que estejam proibidos, a melhora das condições de detenção e o fim das batidas noturnas e das revistas a seus parentes.

No dia 18 de outubro, 447 prisioneiros palestinos foram soltos como primeira parte da troca negociada para libertar o soldado israelense Gilad Shalit, último passo de uma longa série de trocas de presos entre Israel e grupos sírios, palestinos e libaneses com os quais possui um sangrento conflito.

Além do assunto dos presos, Al Arabi e Meshaal trataram sobre os avanços na reconciliação palestina. Neste sentido, Meshaal assegurou que alcançará a formação de um Governo nacional presidido pelo líder da Autoridade Nacional Palestina e do grupo Fatah, Mahmoud Abbas.

Fatah e Hamas puseram fim a quatro anos de divisão com um acordo assinado no Cairo no dia 4 de maio de 2011, enquanto em fevereiro acordaram em Doha que Abbas dirija o Governo de união nacional.

No entanto, Fatah denunciou em várias ocasiões que o Hamas está dificultando este processo e a realização de eleições na Faixa de Gaza.

Durante sua estadia no Cairo, Meshaal também se reuniu com o ministro egípcio de Relações Exteriores, Mohammed Amro, que destacou a importância da formação de um Governo nacional palestino para "enfrentar os desafios da Palestina".

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.