i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
boca de urna

Maioria na Crimeia vota a favor de anexação à Rússia

As autoridades da Crimeia disseram que o comparecimento as urnas foi alto e podia-se ouvir música da era soviética em alguns dos locais de votação

  • PorAgência Estado e Folhapress
  • 16/03/2014 12:46
População comemoram na praça Lenin, na capital da Crimeia, Simferopol | REUTERS/Thomas Peter
População comemoram na praça Lenin, na capital da Crimeia, Simferopol| Foto: REUTERS/Thomas Peter

O governo da Crimeia anunciou oficialmente que o resultado do referendo deste domingo é a favor da anexação da península à Rússia. As autoridades da Crimeia disseram que o comparecimento as urnas foi alto e podia-se ouvir música da era soviética em alguns dos locais de votação.

Com pelo menos 50% dos votos apurados, 95,5% são a favor da separação da Ucrânia e união com Moscou, disse a comissão responsável pela consulta. Apenas 3,5% votaram pela manutenção como território ucraniano. O governo da península garante que 82,7% dos cidadãos aptos a votar compareceram às urnas.

Uma multidão tomou conta da Praça Lênin, principal ponto de encontro de Simferopol, capital da Crimeia, para celebrar o resultado do referendo. Uma delegação do governo da Crimeia viaja nesta segunda para Moscou com o objetivo de iniciar o processo de anexação.

Com apoio dos Estados Unidos e da União Europeia, o governo ucraniano considera a consulta ilegal e já avisou que não vai reconhecê-la, criando uma incerteza sobre os próximos passos na região a partir desta segunda.

De maioria russa, a Crimeia foi anexada à Ucrânia em 1954 na formação da União Soviética. Após a recente queda do então presidente da Ucrânia, Viktor Yanucovih, aliado do presidente russo, Vladimir Putin, o grupo político pró-Rússia tomou o poder na Crimeia e aprovou a anexação a Moscou, convocando o referendo para ratificar a decisão.

O resultado final dever homologado nesta segunda-feira pelo Parlamento local. Cidadãos da etnia tártara, 12% da Crimeia, e os ucranianos, em torno de 25%, teriam boicotado o referendo.

Os Estados Unidos continuam criticando a votação, mesmo antes do resultado oficial. A Casa Branca disse neste domingo que o referendo para unificação da região à Rússia contradiz a constituição da Ucrânia e que não reconhecerá o resultado do referendo. O referendo ocorrem em meio a "ameaça de violência e intimidação do exército russo, o que viola a lei internacional", diz a Casa Branca.

O presidente da Comissão Europeia - braço executivo da União Europeia - José Manuel Durão Barroso, e o presidente do Conselho Europeu, Herman van Rompuy, divulgaram neste domingo um comunicado no qual afirmam que o referendo sobre a anexação da Crimeia à Rússia é ilegal e não terá seu resultado reconhecido pelo bloco.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.