Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Prédio de 14 andares na Faixa de Gaza que foi derrubado em ataque aéreo das Forças de Defesa de Israel, 12 de maio
Prédio de 14 andares na Faixa de Gaza que foi derrubado em ataque aéreo das Forças de Defesa de Israel, 12 de maio| Foto: Reprodução / Twitter / IDF

Um menino de 5 anos morreu horas após ser ferido gravemente em um ataque de foguete do Hamas na cidade de Sderot, ao sul de Israel, perto da fronteira com a Faixa de Gaza, nesta quarta-feira (12). Estilhaços penetraram a janela do abrigo fortificado da família de Ido Avigal, ferindo também a mãe e a irmã de 7 anos do menino, segundo a relatos da imprensa. As duas estão internadas em um hospital.

A imprensa local diz que as circunstâncias do caso estão sendo investigadas, e que incidentes em que pessoas são feridas dentro de abrigos são raros. O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu expressou condolências e disse que a morte de Ido Avigal foi um "assassinato repugnante cometido pela organização terrorista Hamas".

Com a morte do menino, o total de fatalidades causadas em Israel durante o atual confronto com o Hamas subiu para sete, incluindo cinco civis israelenses, um indiano e um soldado das forças de defesa de Israel, que foi morto em um ataque de míssil na fronteira com Gaza.

O sargento Omer Talib, 21 anos, foi morto quando estava dentro de um veículo militar que foi atingido por um míssil nesta quarta-feira. Ele fazia parte de operações na comunidade de Netiv Ha'asara para impedir a infiltração de terroristas da Faixa de Gaza, segundo porta-voz das Forças de Defesa de Israel.

A imprensa palestina relata que 67 pessoas morreram nos recentes ataques israelenses, incluindo 16 crianças, e mais de 300 foram feridos.

Israel continua sua ofensiva militar na Faixa de Gaza. Em operação conjunta com o Shin Bet, a agência de segurança, as forças armadas do país já mataram pelo menos dez militares de alto escalão do Hamas e derrubaram mais um edifício que abrigava operações do Hamas em ataques aéreos.

O IDF informou que, na tarde de quarta-feira, um ataque por caças derrubou um prédio de 14 andares no sul de Gaza, alegando que o local servia de sede para operações de inteligência militar do Hamas. Ainda segundo as forças israelenses, os civis foram alertados antes do ataque e tiveram tempo de deixar o edifício.

Na noite desta quarta-feira, várias cidades israelenses registraram tumultos internos entre árabes e judeus. Em reação aos confrontos violentos que ocorreram em Lod, Acre, Jerusalém, Haifa, entre outras, Netanyahu anunciou que pode enviar militares às cidades para restaurar a ordem. Mais de 400 pessoas foram detidas nos tumultos.

Os ataques de foguetes do Hamas contra Israel foram retomados nas primeiras horas de quinta-feira (noite de quarta no Brasil). Sirenes de alerta soaram em cidades do sul, do centro e até mesmo do norte de Israel. As forças israelenses afirmam que o Hamas já disparou mais de 1.500 foguetes contra Israel nos últimos três dias.

O gabinete de segurança de Israel aprovou, na noite de quarta-feira, a recomendação do IDF para aumentar os ataques retaliatórios contra a Faixa de Gaza, segundo o Jerusalem Post. Netanyahu declarou que Israel não aceitará um acordo de cessar-fogo com o Hamas e a Jihad Islâmica.

1 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]