i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Contra violência policial

Nigéria: tiroteio contra manifestantes deixa pelo menos um morto

    • Gazeta do Povo, com Estadão Conteúdo
    • 21/10/2020 16:58
    Em Lagos, maior cidade da Nigéria, manifestante protesta contra a violência policial.
    Em Lagos, maior cidade da Nigéria, manifestante protesta contra a violência policial.| Foto: AFP

    O governador do estado de Lagos, na Nigéria, Babajide Sanwo-Olu, afirmou que uma pessoa morreu em um tiroteio contra manifestantes na terça-feira (20). A Anistia Internacional, por sua vez, denuncia várias mortes. Há cerca de duas semanas milhares de jovens têm saído nas ruas das grandes cidades do país para protestar contra a violência policial. Os manifestantes também pedem uma representação melhor na política, aumentos salariais e mais empregos.

    Até então, a maioria das manifestações tinham sido pacíficas, com cartazes, música e dança, mas na terça-feira (20) mais de mil pessoas se reuniram em Lagos, maior cidade da Nigéria, e foram dispersadas com tiros de munição letal após o anúncio de um toque de recolher total.

    “As manifestações pacíficas se tornaram um monstro que ameaça o bem-estar da nossa sociedade”, declarou o governador Babajide Sanwo-Olu antes de anunciar o toque de recolher. "Tenho a responsabilidade sobre este incidente infeliz e vou trabalhar com o governo federal para elucidar o que aconteceu”, escreveu no Twitter o governador. Sanwo-Olu afirmou, ainda, que a repressão escapou de seu controle.

    Nas redes sociais, vídeos mostram homens vestidos com uniformes militares atirando com armas de fogo, mas o exército do país disse que as gravações são “fake news”. Os bairros comerciais e as lojas de Lagos, que tem 20 milhões de habitantes, permanecem fechadas. Nesta quarta-feira (21), o presidente nigeriano, Muhammadu Buhari, pediu compreensão e calma, mas não abordou diretamente os tiroteios.

    Deixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.