i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Cúpula da UE

O que você precisa saber sobre o acordo de imigração na Europa

Líderes da União Europeia aceitaram redistribuir os imigrantes que chegam à região. Número de desembarques diminuiu 94% em relação a 2015

    • Das agências
    • 29/06/2018 19:45
    Migrantes aguardam pelo desembarque no porto de Algeciras, na Espanha | MARCOS MORENO/AFP
    Migrantes aguardam pelo desembarque no porto de Algeciras, na Espanha| Foto: MARCOS MORENO/AFP

    A União Europeia chegou a um acordo sobre a imigração no bloco. Um dos objetivos era o de conter o fluxo de pessoas, originárias principalmente do Norte da África e do Oriente Médio. Os países-membros se comprometeram a distribuir os imigrantes que chegam à região, principalmente pelo litoral do Mediterrâneo.

    O que foi definido na cúpula? 

    Os líderes da União Europeia aceitaram ajudar os países que se encontram nas fronteiras do continente, sobretudo a Itália, através da redistribuição de parte dos imigrantes resgatados no Mediterrâneo - desde que eles sejam detidos.

    Em paralelo, a UE disse que vai criar centros de recepção nos países do norte da África, onde a maioria dos imigrantes resgatados no mar seria enviada de volta. Os centros, chamados de "plataformas de desembarque", serão administrados em conjunto com agências das Nações Unidas, que vão garantir a segurança deles enquanto aguardam a repatriação ou o reassentamento para os países europeus. 

    Leia também: ï»¿Líderes da União Europeia fecham acordo sobre imigração

    O esforço visa reduzir o fluxo de imigrantes no continente, que tem impulsionado o surgimento e fortalecimento de partidos populistas, sobretudo na Alemanha, em que a chanceler Angela Merkel tem sofrido forte pressão.O primeiro-ministro da Áustria, Sebastian Kurz, foi um dos primeiros a oferecer seu território para receber migrantes que chegam pela Itália e pela Grécia. 

     O que ainda falta decidir? 

    O principal ponto a definir é como a União Europeia irá distribuir os refugiados entre os estados-membros e como irá lidar nos casos em que os pedidos de asilo forem rejeitados. A União Europeia pretende procurar voluntários para sediar os centros de recepção. Aqueles que forem ser implantados fora do continente irão requerer delicadas negociações com países africanos, que, a princípio, não manifestaram interesse em sediar essas unidades. 

    O acordo estabeleceu um consenso sobre a questão migratória? 

    Não. Dentro do bloco, ainda persistem divisões profundas permanecem entre aqueles com uma postura relativamente liberal em relação à migração, como Merkel ou o primeiro-ministro espanhol Pedro Sanchez, e líderes como o húngaro Viktor Orban, que disse que "a invasão (de migrantes) precisa ser parada". 

    Como está o fluxo de migrantes para a Europa? 

    Líderes antimigração na Áustria, Hungria, Polônia e Itália apontavam que estava uma "invasão" de migrantes, mesmo com a forte queda no número de migrantes vindos do Norte da África e da Europa. No primeiro semestre, cerca de 54 mil migrantes chegaram à Europa. É uma queda de 94% em relação a período similar em 2015. 

    A Europa freiou o fluxo, em parte, ao impulsionar a cooperação com a Líbia, um importante ponto de partida para migrantes, e implantando a guarda costeira desse país. Ela é responsável por patrulha o Mediterrâneo e regularmente intercepta embarcações com destino à Europa. A União Européia afirmou que aumentará seu apoio à guarda costeira da Líbia. Outras embarcações no Mediterrâneo, disse a UE, não devem obstruir as operações da guarda costeira da Líbia. 

    Quem são os vencedores do acordo? 

    Um deles, é a chanceler alemã Angela Merkel. O acordo surpresa da Europa sobre a migração lhe dá um alívio para enfrentar a rebelião em sua coalizão governamental, que se manifestava contrária à sua política migratória. 

    Os populistas europeus, representados pelo primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte. Ele negociou um pacote de medidas em sua primeira cúpula da União Europeia para conter o fluxo de migrantes e possibilitar a distribuição dos que chegam entre os países membros.

    Deixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.