i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
força de paz

ONU nomeia general brasileiro para comandar força no Haiti

Militar brasileiro vai comandar contingente com cerca de 9 mil pessoas. Cruz vai substituir o general Floriano Peixoto

  • PorReuters
  • 11/03/2010 15:21
General brasileiro vai comandar contingente de 7 mil militares | Reuters
General brasileiro vai comandar contingente de 7 mil militares| Foto: Reuters

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, nomeou nesta quinta-feira o general brasileiro Luiz Guilherme Paul Cruz como o novo comandante da força de paz da entidade no Haiti.

Cruz substituirá outro brasileiro, o general Floriano Peixoto Vieira Neto, que desde março de 2009 comanda a missão de paz da Organização das Nações Unidas no Haiti, conhecida como Minustah. Cerca de 9.000 pessoas, sendo 7.000 militares, atuam no contingente.

"O general Paul Cruz trará grande experiência de comando e operacional ao assumir suas responsabilidades na Minustah", informou a ONU em comunicado.

Nascido em 1957, o general é membro das Forças Armadas desde 1972 e, entre outras funções, comandou o Batalhão da Polícia Militar de Brasília entre 2002 e 2003.

O Haiti, país mais pobre das América, foi devastado por um forte terremoto em janeiro que matou até 300 mil pessoas e deixou cerca de 1,5 milhão de desabrigados. O sismo deixou a capital Porto Príncipe em ruínas, e destruiu a já frágil infraestrutura de serviços básicos, como saúde, educação e comunicações.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.