As unidades especiais da polícia federal entraram em uma residência em Schaerbeek, onde uma explosão foi ouvida, segundo a agência de notícias Belga. | NICOLAS MAETERLINCK/AFP
As unidades especiais da polícia federal entraram em uma residência em Schaerbeek, onde uma explosão foi ouvida, segundo a agência de notícias Belga.| Foto: NICOLAS MAETERLINCK/AFP

Uma grande operação policial ocorreu nesta sexta-feira (25) no bairro de Schaerbeek relacionada às investigações sobre os ataques em Bruxelas, afirmou o subprefeito Bernard Clerfayt.

Repórteres da Associated Press relatam ter ouvido duas explosões no bairro, onde ficava o apartamento de alguns dos homens-bombas que participaram dos ataques de terça (22). À emissora estatal RTBF, uma testemunha também descreveu ter ouvido duas explosões e disparos.

Clerfayt disse à RTBF que uma pessoa foi “neutralizada” na operação durante a manhã desta sexta. Posteriormente, a polícia afirmou que a pessoa foi ferida e está presa.

Segundo Clerfayt, a operação tem relação com os ataques contra um aeroporto e uma estação de metrô e com a prisão de um homem na área de Paris (França) na quinta-feira (24).

De acordo com autoridades, o detido tem uma condenação por terrorismo na Bélgica e conexões com Abdelhamid Abaaoud, mentor dos ataques em Paris, que deixaram 130 mortos em 13 de novembro.

Por causa da operação, o primeiro-ministro belga, Charles Michel, não realizou uma cerimônia ao lado do secretário de Estado dos EUA, John Kerry, no aeroporto de Bruxelas.

PRISÕES

Horas antes da chegada do secretário norte-americano, seis suspeitos de envolvimento nos ataques em Bruxelas foram presos. Outros dois homens que estariam envolvidos nos atentados, no entanto, continuam foragidos.

Dois oficiais franceses, que falaram sob condição de anonimato, identificaram o homem preso na França na quinta como Reda Kriket, francês de 34 anos procurado desde janeiro por supostos vínculos com terrorismo.

De acordo com o Ministério do Interior francês, o homem estava em “estágios avançados” de uma conspiração para atacar o país.

Segundo uma autoridade belga, Kriket foi condenado à revelia em julho juntamente com Abaaoud e outros por tomar parte de uma rede de recrutamento para a Síria.

Por enquanto, disse o Ministério do Interior francês, ainda não há evidências vinculando Kriket aos ataques em Paris ou em Bruxelas.

Apesar disso, policiais francesas afirmaram ter encontrado explosivos e várias armas durante revista em sua casa em Argenteuil.

De acordo com a revista Der Spiegel, duas pessoas foram detidas na Alemanha por possíveis vínculos com os ataques na cidade belga. Os ataques contra um aeroporto internacional e uma estação de metrô em Bruxelas deixaram 31 mortos na terça-feira.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]