i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Pró-UE

Opositores ucranianos pedem calma em protesto que se transforma em revolução

Um grupo de opositores se enfrentou com a polícia, que faz a segurança da sede presidencial, enquanto outro grupo entrou na prefeitura

  • PorEFE
  • 01/12/2013 11:18

Os líderes dos partidos opositores da Ucrânia fizeram um pedido de calma no grande comício que acontece neste domingo na Praça da Independência, em Kiev, enquanto alguns grupos trataram assaltar edifícios oficiais.

De acordo dados dos partidos opositores, na praça estão reunidos até meio milhão de pessoas. Já no Ministério do Interior da há cerca de 150 mil.

"Peço muita atenção: se alguém te pedir que invada algum edifício oficial, isto pode ser muito perigoso", disse o dirigente do partido UDAR, o ex-campeão de boxe Vitali Klitschko, ao público.

Klitschko advertiu que devem ser evitadas as provocações e também as respostas a elas. Enquanto isso a imprensa local afirmou que há diferentes incidentes junto à sede presidencial, a prefeitura e a sede dos sindicatos.

"Vamos estar aqui até que se cumpram nossas reivindicações, a renúncia do governo de Nikolai Azarov e do presidente (Viktor Yanukovich)", disse Klitschko.

Um grupo de opositores se enfrentou com a polícia, que faz a segurança da sede presidencial, enquanto outro grupo entrou na prefeitura, depois de quebrar as janelas do local.

A agência de notícias russa "Itar-Tass" relatou que "começaram enfrentamentos entre manifestantes e policiais" que protegem o complexo presidencial. Além disso, acrescentou que foram ouvidas detonações e há colunas de fumaça no local, aparentemente ocasionadas pela utilização de material pirotécnico por parte de alguns manifestantes.

Imagens de emissoras de televisão mostraram um grupo de opositores montados em uma escavadeira e se aproximando do cordão de isolamento policial que cerca o complexo presidencial. Com a escavadeira romperam as barreiras metálicas que rodeiam a sede, enquanto as forças de segurança, com megafones, tentavam convencê-los a se retirar.

Segundo um porta-voz do Ministério do Interior da Ucrânia, dois policiais ficaram feridos quando impediram os manifestantes de romper as barreiras.

Além disso, a imprensa informou que um grupo de opositores entrou no edifício da prefeitura de Kiev e que a polícia está se concentrando ao redor para recuperá-la.

Na Praça da Liberdade, outro dirigente opositor anunciou aos manifestantes o início de uma greve geral na Ucrânia para pedir a renúncia do presidente e do governo. O líder do movimento Terceira República da Ucrânia, Yuri Lutsenko, ex-ministro do Interior do país, disse que o protesto em Kiev já se transformou em uma revolução.

"Nosso plano está claro: isto já não é um comício ou uma ação. É uma revolução", disse aos que gritavam palavras de ordem.

Lutsenko acrescentou que a sociedade civil e os políticos "estão completando hoje o que não acabaram durante os grandes protestos de 1991 e 2004", em referência ao fim da União Soviética e à Revolução Laranja.

"A República Socialista Soviética da Ucrânia está morrendo hoje aqui. Estamos assistindo a seu funeral", afirmou o líder oposicionista.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.