i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
manifestação

Palestino chama Blair de "terrorista" em mesquita na Cisjordânia

O manifestante, que carregava uma mochila, foi levado a um local onde os guardas tentaram acalmá-lo. "Ele não é bem-vindo na terra da Palestina", gritava o homem

  • Porreuters
  • 20/10/2009 15:05

Guarda-costas reprimiram um palestino nesta terça-feira enquanto ele se aproximava do ex-premiê britânico Tony Blair gritando "você é um terrorista".

Blair foi atacado verbalmente enquanto visitava uma antiga mesquita durante viagem oficial à cidade de Hebron, na Cisjordânia.

O manifestante, que carregava uma mochila, foi levado a um local onde os guardas tentaram acalmá-lo. "Ele não é bem-vindo na terra da Palestina", gritava o homem.

Blair, de 56 anos, é o enviado para o Oriente Médio do quarteto formado pela União Europeia, Estados Unidos, Rússia e Nações Unidas.

Ele esboçou um sorriso forçado e fez um gesto conciliador em direção ao homem. Mais tarde, relevou o incidente ao considerá-lo representativo dos sentimentos locais.

A maior parte dos palestinos e israelenses quer que o conflito seja "resolvido de maneira pacífica", comentou. Eles entendem "que não será resolvido ao menos que achemos uma maneira de criar dois Estados, um Estado de Israel e um Estado da Palestina, lado a lado, em paz".

"Francamente, não são protestos que irão conseguir isto. É uma negociação paciente", acrescentou Blair a repórteres.

Um porta-voz do enviado disse à Reuters que não se sabe o motivo do ataque contra Blair. "Não ouvimos nada sobre isso", afirmou.

Blair segue impopular entre alguns árabes por apoiar a invasão do Iraque pelos Estados Unidos, em 2003, e por ter mantido uma posição supostamente favorável a Israel enquanto foi premiê da Grã-Bretanha.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.