i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Violência e racismo nos EUA

Policial que asfixiou George Floyd é preso

    • Gazeta do Povo
    • 29/05/2020 15:34
    george floyd derek chauvin
    A questão dos maus policiais que rotineiramente violam direitos constitucionais e são protegidos pelos sindicatos não é uma questão de direita x esquerda.| Foto: Reprodução/Darnella Frazier via Facebook/AFP

    O policial que asfixiou George Floyd e é suspeito de tê-lo matado foi preso nesta sexta-feira (29) em Minneapolis, na esteira de grandes protestos em todo o país pedindo por justiça no caso. Derek Chauvin foi preso pelo Departamento de Apreensão Criminal de Minnesota, informou o comissário do Departamento de Segurança Pública de Minnesota, John Harrington, em entrevista coletiva. Ele foi acusado de assassinato.

    "Ele está sob custódia e foi acusado de assassinato", disse Freeman sobre Chauvin, que é branco. "Temos evidências, temos o vídeo de um cidadão, a coisa horrível, horrenda e terrível que já vimos várias vezes".

    Chauvin, que trabalhava na polícia havia 19 anos, já tinha sido demitido junto com outros três colegas que participaram da abordagem que levou à morte de Floyd na segunda-feira (25), em Minneapolis.

    Mais informações sobre a prisão em breve.

    Conheça o caso

    Em Minneapolis, no estado americano de Minnesota, uma ação policial resultou na morte de George Floyd, um homem negro de 46 anos que trabalhava como segurança em um restaurante.

    Na segunda-feira, o policial Derek Chauvin respondeu a uma ocorrência na qual um homem com as características de Floyd teria tentado comprar cigarros com uma nota falsificada. Floyd estava dentro de seu carro quando os policiais chegaram, o tiraram do veículo e o algemaram, conforme flagrou uma câmara de vigilância de um estabelecimento próximo.

    Em um outro vídeo, gravado por uma mulher que passava pelo local e transmitido ao vivo no Facebook, Chauvin aparece pressionando o pescoço de Floyd com o joelho enquanto Floyd está algemado e deitado no chão ao lado do carro. Foram pelo menos cinco minutos de asfixia, até que Floyd desmaia. Diversas vezes ele disse ao policial que não consegui respirar. As pessoas ao redor falavam para o policial parar, mas Chauvin continuou a sufocá-lo. Floyd, que estava desarmado, chegou sem vida ao hospital.

    Os policiais afirmam que ele resistiu à prisão, mas a polícia de Minneapolis ainda não divulgou as imagens das câmeras portáteis usadas pelos policiais durante a abordagem.

    O FBI, a polícia federal americana, iniciou uma investigação sobre a morte de Floyd. A família da vítima pede que Chauvin seja julgado por assassinato.

    O caso gerou manifestações em todo o país. Em Minneapolis foram três noites seguidas de protestos violentos, com incêndios, tiros e saques a estabelecimentos da região. A Terceira Delegacia de Polícia de Minneapolis foi incendiada pelos manifestantes na noite de quinta-feira.

    3 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 3 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.

    • J

      JAMC

      ± 1 horas

      Manda para prisão aqui no Brasil

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

      • G

        GP

        ± 1 horas

        Esse merece pena de morte.

        Denunciar abuso

        A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

        Qual é o problema nesse comentário?

        Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

        Confira os Termos de Uso

        • N

          Neto

          ± 2 horas

          O que tem a ver protestos com saques?

          Denunciar abuso

          A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

          Qual é o problema nesse comentário?

          Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

          Confira os Termos de Uso

          Fim dos comentários.