i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Israel

Políticos israelenses cogitam eleições antecipadas

Atual legislatura termina em novembro de 2013

  • PorAFP
  • 29/04/2012 06:45

Vários líderes políticos israelenses de diversas tendências mencionaram neste domingo (29) a possibilidade de eleições antecipadas, depois que ex-comandantes do serviço secreto criticaram o governo de Benjamin Netanyahu.

O líder do partido de centro Kadima, Shaul Mofaz, pediu eleições legislativas o mais rápido possível e disse acreditar que a votação poderia acontecer em outubro deste ano. A atual legislatura termina em novembro de 2013.

A presidente do Partido Trabalhista, Shelly Yacimovich, defendeu a união das forças opositoras para derrubar o governo.

"Não tenho medo de consultar a opinião pública", respondeu Netanyahu neste domingo.

O principal aliado do primeiro-ministro, o ultradireitista ministro das Relações Exteriores Avigdor Lieberman, também citou a possibilidade de eleições antecipadas, o que segundo ele dependerá da votação de um projeto de lei no Parlamento em 9 de maio.

O texto prevê obrigar todos os jovens israelenses a cumprir um serviço militar ou um serviço civil. Atualmente, os religiosos ortodoxos conseguem evitar cumprir as obrigações militares.

Yuval Diskin, ex-diretor do Shin Beth, o serviço de segurança interno israelense, acusou o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu e o ministro da Defesa, Ehud Barak, de "enganar" os israelenses a respeito do Irã.

"Enganam o país sobre o assunto Irã. Afirmam que se Israel agir, o Irã não terá a bomba nuclear. É enganoso. Muitos analistas israelenses afirmam que um ataque israelense acelerará a corrida nuclear do Irã", completou Diskin, que comandou o Shin Beth de 2005 a 2011.

Meir Dagan, ex-diretor do serviço secreto de Israel, o Mossad, também adotou um tom duro contra Netanyahu, ao chamar de "aventura perigosa" um eventual ataque ao Irã.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.