Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

O presidente francês, Nicolas Sarkozy, anunciou neste domingo uma reforma em sua equipe de governo com poucas mudanças nos principais cargos. No entanto, o gabinete está menor, mais alinhado à direita e em sintonia com a conduta de austeridade fiscal do presidente. O novo gabinete tem agora 30 membros, e não mais 37, e é dominado por pessoas do próprio partido de Sarkozy, o UMP. Trata-se de uma clara tentativa de fortalecimento do partido para a eleição presidencial de 2012.

O ex-primeiro ministro Alain Juppé foi nomeado ministro da Defesa, substituindo Herve Morin, enquanto Michele Alliot-Marie foi trocada por Bernard Kouchner no Ministério do Exterior.

A ministra das Finanças Christine Lagarde, que havia afirmado querer continuar no cargo, foi mantida, bem como o ministro do Orçamento Francois Baroin, que também assumirá o posto de porta-voz do governo. Uma série de rumores sugeriam neste domingo que Lagarde e Baroin permaneceriam.

A reestruturação era esperada para segunda-feira ou terça-feira, mas foi adiantada porque o primeiro-ministro François Fillon renunciou na noite de sábado, num passo formal necessário para que um novo governo pudesse ser formado. Neste domingo pela manhã, Fillon foi renomeado por Sarkozy, indicação de que o presidente optou por uma continuidade, em vez de tentar recuperar eleitores que perdeu com a tão impopular reforma do sistema de pensão. As informações são da Dow Jones.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]