i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Espaço

Satélite sino-brasileiro envia as primeiras imagens

Câmera multiespectral MUX, a bordo do equipamento, registra a região de Armação de Búzios, no estado do Rio de Janeiro

  • PorAgência O Globo
  • 09/12/2014 12:46
Imagem da região de Búzios, no Rio de Janeiro | Inpe/Divulgação
Imagem da região de Búzios, no Rio de Janeiro| Foto: Inpe/Divulgação
  • Imagem da região de Búzios, no Rio de Janeiro
  • Imagem da região de Búzios, no Rio de Janeiro
  • Imagem da região de Búzios, no Rio de Janeiro
  • Imagem da região de Búzios, no Rio de Janeiro
  • Imagem da região de Búzios, no Rio de Janeiro

As primeiras imagens da câmera multiespectral brasileira MUX, a bordo do satélite CBERS-4, foram divulgadas nesta terça-feira (9) pelos técnicos do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). As imagens da primeira câmera para satélites inteiramente desenvolvida e produzida no Brasil são da região de Armação de Búzios, no estado do Rio de Janeiro. O satélite, desenvolvido em parceria com a China, foi lançado no espaço na madrugada de domingo (7).

FOTOS: Veja as imagens feitas pelo satélite CBERS-4

Com 20 metros de resolução e multiespectral, a MUX registra imagens no azul, verde, vermelho e infravermelho próximo, em faixas distintas, para uso em diferentes aplicações, principalmente no controle de recursos hídricos e florestais.

O satélite tem capacidade de gravar até 15 minutos de material por dia e viaja a uma velocidade de 4,2 quilômetros por segundo. As imagens capturadas, no entanto, ainda estão sendo usadas como teste para que sejam feitos ajustes na câmera.

CBERS-4

O satélite CBERS-4 foi lançado na madrugada de domingo à 1h26 (horário de Brasília) pelo foguete Longa Marcha 4B de uma base localizada na cidade de Taiyuan, a cerca de 700 quilômetros de Pequim. O sucesso da operação foi confirmado à 1h39, quando o equipamento atingiu altitude de 778 quilômetros, distância necessária para que entrasse em órbita e iniciasse a abertura do painel solar.

A presidente Dilma Rousseff escreveu em seu Twitter que o lançamento do satélite foi um sucesso e destacou que a tecnologia possibilitará o monitoramento da Amazônia e reforçará as relações na América Latina, já que poderá fornecer informações para outros países da região.

Em órbita, o CBERS-4 faz uma volta completa em torno da Terra a cada uma hora e quarenta minutos. Além do monitoramento da Amazônia, o satélite terá aplicações diversas, como o mapeamento da agricultura e a expansão das cidades, além de estudos sobre bacias hidrográficas e queimadas.

O lançamento do CBERS-4 representa um retorno do Programa Espacial Brasileiro, marcado pela falta de recursos, falhas e uma tragédia, a explosão do protótipo do Veículo Lançador de Satélites (VLS) em 22 de agosto de 2003, durante um teste na plataforma da Base Espacial de Alcântara, no Maranhão, que matou 21 pessoas, entre elas alguns dos principais cérebros que trabalhavam no projeto.

Imagens do satélite CBERS-4

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.