i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
clima

Senado dos EUA desiste de lei contra emissão de gases

Partido Democrata ainda deve tentar aprovar projeto que responsabiliza British Petroleum pelo vazamento no Golfo do México

  • PorAgência Estado
  • 22/07/2010 15:32

O Senado dos Estados Unidos desistiu de trabalhar para aprovar uma legislação que imporia limites às emissões de gases que provocam o aquecimento global. O líder da maioria (Partido Democrata) no Senado, Harry Reid, disse que nem ele, nem a Casa Branca conseguiram persuadir 60 senadores a apoiar nem mesmo um projeto reduzido, que imporia limites às emissões das companhias que produzem energia elétrica.

Reid disse que a liderança de seu partido vai tentar fazer avançar um projeto ainda mais restrito, para fazer a British Petroleum (BP) assumir as responsabilidades pelo vazamento de petróleo no Golfo do México. A medida removeria o teto para as indenizações exigíveis de empresas de petróleo para compensar indivíduos e companhias locais afetados por vazamentos de petróleo. Outro item incluiria incentivos para encorajar a produção e a compra de veículos movidos a gás natural. "Isso é o que podemos fazer agora", afirmou Reid.

Mas, também nesta quinta-feira, lobistas representando indústrias e produtores rurais divulgaram uma carta exortando o Senado a não aprovar qualquer lei que aumente "artificialmente" a demanda por gás natural nos setores de energia e transportes. Esses lobistas, que representam empresas como a Dow Chemical e a Kimberly Clark, além de entidades como a Associação Nacional dos Produtores de Milho dos EUA, argumentam que incentivos ao aumento da demanda por gás natural poderão causar uma redução na oferta, levando a preços mais altos para a energia elétrica.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.