i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
América Latina

Trabalhadores da indústria da carne argentina anunciam protesto

Eles exigem o pagamento de um subsídio que compense a redução de horas de trabalho dos empregados

  • PorReuters
  • 12/07/2010 09:36

Trabalhadores da indústria da carne argentina anunciaram nesta segunda-feira que vão iniciar um bloqueio por tempo indeterminado ao maior mercado de gado do país para exigir o pagamento de um subsídio que compense a redução de horas de trabalho dos empregados.

O país é um dos maiores exportadores mundiais de carne e os argentinos comem mais carne per capita do que qualquer outro povo no mundo, mas a indústria local teve perdas nos últimos meses causadas por uma queda acentuada no número de cabeças de gado enviadas para abate.

Os pecuaristas dizem que isso se deve à redução no tamanho do rebanho nacional, fato que atribuem às políticas governamentais que levaram alguns produtores a vender animais e arrendar suas terras para cultivos que dão mais lucro que a pecuária, como a soja.

Trabalhadores da indústria da carne carregando faixas e bandeiras se reuniram diante do Mercado de Liniers, e a previsão é que o bloqueio tenha início ao meio-dia local.

"O protesto começa hoje e será por tempo indeterminado", disse Alberto Fantini, secretário-geral da Federação Gremial do Pessoal da Indústria da Carne, que tem 60 mil membros.

"O objetivo é assegurar que os trabalhadores da indústria de processamento da carne possam obter os subsídios que lhes foram prometidos pelo Estado e pelas empresas", afirmou ele aos repórteres, diante do mercado, acrescentando que muitas empresas não enviaram os documentos necessários.

As indústrias da carne têm estoque substancial e os negociantes de gado dizem não esperar que haja escassez nos açougues do país, a não ser que os protestos se estendam por tempo demasiado.

"Não haverá escassez de carne, pelo menos não imediatamente. Isto deve durar por duas ou três semanas", disse um negociante do produto, acrescentando que na manhã de segunda-feira houve entrega normal de gado no mercado de Liniers.

O número de animais abatidos despencou em 22,5% nos primeiros cinco meses do ano, comparado com o mesmo período de 2009, segundo o grupo industrial CICCRA informou na semana passada, fato que levou o governo a limitar as exportações na sexta-feira.

Com menos animais enviados ao mercado, várias indústrias da carne reduziram o horário de trabalho dos empregados.

Para compensar as perdas nos salários, a presidente da Argentina, Cristina Fernández, anunciou um subsídio em maio, mas a indústria da carne diz não ter recebido ainda o dinheiro.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.