i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Pró-UE

Ucranianos desafiam proibição do governo e tomam Praça da Independência

Foi até agora a maior demonstração de repúdio pela recusa do presidente Viktor Yanukovych em assinar um acordo com a União Europeia

  • PorAgência Estado
  • 01/12/2013 10:14
Milhares de ucranianos protestam na Praça da Independência, em Kiev, contra a decisão do governo de recusar a adesão à União Europeia | REUTERS / Gleb Garanich
Milhares de ucranianos protestam na Praça da Independência, em Kiev, contra a decisão do governo de recusar a adesão à União Europeia| Foto: REUTERS / Gleb Garanich

Milhares de manifestantes marcharam pelo centro da capital da Ucrânia, Kiev, neste domingo, desafiando uma proibição do governo de realizar protestos na Praça da Independência, na maior demonstração de repúdio pela recusa do presidente Viktor Yanukovych em assinar um acordo com a União Europeia.

Gritos de "revolução" ressoaram no mar de bandeiras da Ucrânia e da UE que encheram a praça, onde o governo havia proibido comícios a partir deste domingo. A multidão era, de longe, a maior desde o início dos protestos, que começaram há mais de uma semana. Muitos dos manifestantes viajaram da Ucrânia Ocidental para Kiev, onde o sentimento pró-UE é particularmente forte.

"Estamos furiosos", disse Mykola Sapronov, um empresário aposentado de 62 anos. "Os líderes devem renunciar. Queremos que a Europa e a liberdade."

Protestos foram realizados diariamente em Kiev por mais de uma semana, após Yanukovych desistir de um acordo que teria estabelecido o livre comércio e uma cooperação política mais profunda entre a Ucrânia e a UE. Ele justificou a decisão dizendo que a Ucrânia não podia arcar com uma quebra dos laços de comércio a Rússia.

O acordo com a UE deveria ter sido assinado sexta-feira (29) e desde então os protestos ganharam força. A manifestação deste domingo também foi alimentada pela raiva contra a violência na dispersão de centenas de pessoas que estavam na Praça da Independência na madrugada de sábado. Alguns dos manifestantes ficaram feridos na cabeça e nos braços.

Enquanto uma grande massa manifestantes se aproximava da praça neste domingo, as barreiras metálicas que bloqueavam o local foram retiradas e os policiais deixaram a praça.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.