i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
INCÊNDIO

Vai a 116 número de mortos em incêndio em Bangladesh

Explosão deu início a um incêndio numa loja onde havia produtos químicos inflamáveis. "Houve gritos, pedidos de socorro e um caos total", disse um policial

  • PorAgência Estado
  • 04/06/2010 09:53
Vista dos estragos provocados pelo incêndio em Daca, capital de Bangladesh | Andrew Biraj  / Reuters
Vista dos estragos provocados pelo incêndio em Daca, capital de Bangladesh| Foto: Andrew Biraj / Reuters

Subiu para 116 o número de mortos no pior incêndio dos últimos tempos em Daca, capital de Bangladesh. Mais de 100 pessoas ficaram feridas, muitas das quais com queimaduras graves. O incêndio de ontem começou nas estreitas vielas da parte antiga de Daca, abarrotadas de prédios antigos, quando um transformador de energia explodiu logo depois que uma tempestade atingiu a cidade, disse o policial Abul Kalam.

Enquanto o bairro ficava às escuras, a explosão deu início a um incêndio numa loja onde havia produtos químicos inflamáveis, de onde as chamas rapidamente se espalharam para pelo menos seis prédios residenciais e por cerca de 15 lojas na área de Najirabaza. Lojas que vendem de jornais velhos a ferro-velho, bem como frutas e vegetais ficam no térreo dos prédios residenciais, o que torna a fuga mais difícil. "Houve gritos, pedidos de socorro e um caos total", disse Kalam.

O bombeiro Abdus Salam disse que o trabalho foi prejudicado porque os veículos não passavam pelas ruas estreias e não havia hidrantes ou outras fontes de água para combater o fogo. Bombeiros e moradores levaram as vítimas para hospitais em riquixás sob os protestos de parentes.

O hospital público da Faculdade de Medicina de Daca estava lotado de pessoas com queimaduras. O chefe do setor de queimados Shamanta Lal Sen, disse que esse foi o pior desastre que ele viu em 40 anos de carreira. A divisão de queimados do hospital lutava para cuidar dos feridos com apenas 25 leitos disponíveis.

O administrador governamental Mohibul Haque disse que 116 mortos foram confirmadas, a maioria dessas pessoas morava em dois ou três prédios residenciais de onde as famílias não conseguiram escapar. O número de mortos pode subir porque acredita-se que haja corpos em meios aos escombros, disse ele.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.