Equipes de resgate trabalham no local da queda do avião de companhia ucraniana que caiu após decolar de Teerã em 8 de janeiro de 2020
Equipes de resgate trabalham no local da queda do avião de companhia ucraniana que caiu após decolar de Teerã em 8 de janeiro de 2020| Foto: AFP

O New York Times divulgou nesta terça-feira (14) um vídeo que mostra que dois mísseis atingiram o avião ucraniano que caiu na semana passada em Teerã após a decolagem. Os mísseis foram lançados de uma base militar iraniana a cerca de 12 quilômetros de distância do avião, segundo a publicação, que verificou a autenticidade do vídeo.

As imagens de câmera de segurança ajudam a explicar por que o transponder da aeronave parou de funcionar antes do impacto do míssil. O vídeo parece confirmar que um primeiro disparo desabilitou o transponder. O segundo míssil foi disparado 23 segundos depois; os dois disparos foram captados pelo vídeo.

Nenhum dos dois disparos derrubou o avião, que é visto em chamas tentando retornar ao aeroporto internacional de Teerã. A aeronave explodiu e caiu minutos depois, matando todas as 176 pessoas que estavam a bordo.

Segundo o New York Times, o novo vídeo foi gravado a partir topo de um edifício na vila de Bidkaneh, a cerca de 6 quilômetros de uma base militar iraniana, e publicado no YouTube por um usuário iraniano na madrugada do acidente.

O Irã admitiu no sábado que o avião Boeing 737 da Ukraine International Airlines foi abatido por mísseis iranianos por engano. A TV estatal do Irã levou ao ar um pronunciamento dos militares culpando um "erro humano" pela queda do avião. "As forças armadas estavam em seu nível mais alto de prontidão", acrescentou o comunicado. "Nessas condições, devido a erro humano e de maneira não intencional, o voo foi atingido".

Nesta terça-feira, o presidente do Irã, Hassan Rouhani, disse que todos os responsáveis pela catástrofe devem ser punidos. Após a fala do presidente, a Justiça iraniana anunciou várias prisões, sem esclarecer quantas pessoas foram presas.

1 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]