| Felipe Lima
| Foto: Felipe Lima

Olhei para o relógio, 2h20! Tentei contar carneirinhos e eles apareciam com camisa da CBF pulando uma cerca na Esplanada dos Ministérios, só piorou! Pensei nos que, pelas redes sociais, criticavam a minha não participação nos protestos. Deveria ter ido? Deveria ser um “filho que não foge à luta”? Cumprir com meu “dever cívico”? Então lembrei da frase de Mark Twain: “Toda vez que você se encontrar ao lado da maioria, é hora de parar e refletir”.

Sigo pensando; não devia ter comparado a massa das ruas com “idiotas úteis”, pegou mal! Ninguém entendeu o significado. Tentei explicar, não estava chamando todos de idiotas. Mas, quando se está cego, também se fica surdo. O Fora PT se tornou uma histeria, sem espaço para debater. O impeachment é o melhor caminho? Onde está a reforma política? Para quem o poder será entregue? Se houver culpa da presidente, não seria melhor cassar a chapa Dilma-Temer via TSE e termos eleições diretas? Logo te tacham de vermelho, comunista, comedor de criancinhas! Nem filiado sou!

Esta esquerda que está no poder, com todos os erros, ainda teve avanços sociais jamais vistos neste país

O que o povo quer está bem claro

Nem tudo é incerteza na atual conjuntura. Sabemos que a magistratura e o Ministério Público, nas suas instâncias federal e estadual, funcionam a contento.

Leia o artigo de Ricardo Vélez Rodríguez, professor emérito da Eceme

3h40, viro para o outro lado. O termo useful idiot é para os que se engajam politicamente sem usar critérios analíticos, seguindo cegamente uma crença ou ideologia que o conduza para uma satisfação. Sim, o país está numa situação bem difícil, mas não se pode negar os interesses político-comerciais para se acabar com este governo. Acho que deveria ter usado o termo “inocente útil”, mais ameno. Tenho o direito de discordar, de preferir a esquerda e a luta pela justiça e a igualdade social, em vez da direita e seu capital! Esta esquerda que está no poder, com todos os erros, ainda teve avanços sociais jamais vistos neste país. Sim, sou contra a corrupção, contra o esquema montado no governo do PT, mas ele não governa sozinho. Todos os outros partidos de apoio e opositores usam a mesma máquina, mesmo modus operandi. E então, como fica? A PF e os juízes estão investigando e prendendo neste governo, não foi nos anteriores, tão corruptos quanto este.

Quero, sim, ver o Brasil passado a limpo, não me omito da luta, fui à passeata das Diretas Já, ao Fora Collor e também levei balas de borracha no Centro Cívico defendendo minha classe de um governo corrupto aqui no Paraná. Se Lula tem culpa, que seja preso dentro da lei, respeitando a Constituição, assim como Cunha, Aécio, Renan Calheiros, Collor, Beto Richa e tantos outros.

Droga, 4h50, me vem a imagem da “Marcha da família com Deus pela Liberdade”, de 1964. Um pesadelo, eram famílias bem intencionadas. A marcha foi o sinal para os militares tomarem o poder. O resto é história: 20 anos de ditadura, torturas, desaparecidos, as empreiteiras se envolvendo em corrupção e nunca investigadas. Vejo as faixas de agora pedindo a volta da intervenção militar, jovens fazendo a saudação nazista, o homofóbico Bolsonaro vociferando para pegar-se em armas. Meu Deus, que amanheça logo!

Respeito quem foi às ruas acreditando na luta por um Brasil melhor. Eu escolhi não sair, pois não me sentiria bem com sujeitos ao meu lado defendendo a volta dos coturnos, o assassinato de Lula, cuspindo em pessoas que vestem uma camiseta vermelha, atropelando quem ousa pensar de outra forma. Não vou também aos protestos do PT. Não idolatro Lula, nem Moro, nem Barbosa! Não acredito em heróis, mas no trabalho coletivo, na construção de soluções, na educação e, acima de tudo, no exercício da cidadania livre!

6h20, finalmente! Levanto para levar meu filho à escola. Que ele possa ter um futuro num país com mais afeto e respeito às diferenças, e que as oportunidades sejam para todos!

Eloy F. Casagrande Jr. é professor da UTFPR e coordenador do Projeto Escritório Verde e do Centro Regional Integrado de Expertise em Educação para o Desenvolvimento Sustentável (Crie-Curitiba), da ONU.
Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]