i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Artigo

Eletrificação e os desafios para um Brazilian Green Deal na mobilidade

  • PorRicardo Kenzo
  • 13/11/2020 20:07
Imagem ilustrativa.
Imagem ilustrativa.| Foto: Daniela Catisti/Copel

Vivemos um ano atípico que mobiliza todo o planeta, uma pandemia que provoca nossa organização social, valores e princípios, movimenta e acelera processos com ferramentas digitais e culturas antes não perseveradas e, principalmente, nos motiva a sermos inovadores e criativos.

No setor da mobilidade não é diferente; a Europa se mobiliza numa ação denominada “European Green Deal”, em que as metas de descarbonização impactam a mobilidade com desafios de reduzir em 55% as emissões de gases de efeito estufa até 2030 e zerar estes impactos até 2050. Certamente esta ação provocará mudanças no portfólio da mobilidade mundial, na convergência em todo modo de transporte das plataformas 100% a combustão para híbridas ou elétricas.

Também a ONU, em pacto global, estabeleceu os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), aplicados pelas iniciativas corporativas e públicas, um justificado caminho de foco aos pilares social, ambiental e econômico, com visão em impacto nas emissões, sustentabilidade, cidades, infraestrutura, saúde e energia limpa.

Temos, então, um cenário que deve proporcionar a aceleração para a entrada de veículos de baixa ou zero emissão. O Brasil já tem uma matriz de geração elétrica de baixa emissão, favorecendo a cadeia que envolve a energia no país. Assim, o impacto nas metas de redução de emissão e descarbonização será de fato mais eficiente, quem sabe a ponto de alavancar um futuro “Brazilian Green Deal”. A possibilidade de veículos pesados, comerciais e transporte público com a inclusão elétrica certamente propiciará uma efetiva redução nos objetivos de emissões que o país tem.

Mas, para esta paisagem, precisamos “pavimentar” a viabilidade tecnológica com desenvolvimento, infraestrutura, capacitação profissional e regulação nacional. Assim, este ano, as discussões sobre esse tema devem incluir aspectos importantes para a viabilidade do sistema de veículos elétricos e híbridos. Entre eles destacamos os desafios na regulação, debatendo os projetos de leis e dando entendimento à aderência de promover este mercado, de forma a viabilizar economicamente o futuro da adesão social no transporte eletrificado de passageiros e cargas; e o ambiente de inovação, que no mundo automobilístico é promovido pelo “campo de testes” dos esportes, onde pilotos e profissionais do setor podem compartilhar a real contribuição desta tecnologia para um transporte de emissão zero.

O impacto desta pandemia também gerou seus benefícios. Entre eles, a conscientização de que podemos respirar melhor sem emissões nos grandes centros urbanos, por exemplo, com impacto positivo em ocorrências de doenças respiratórias e traumas ortopédicos; e o uso de ferramentas digitais que contribuem para a redução de deslocamentos e para a aceleração de mudanças culturais, com a imposição de condições não convencionais que demonstraram novas possibilidades em atividades de trabalho e consumo. Modelos e padrões que podemos estabelecer para o futuro da mobilidade automotiva disruptiva e inovadora em nosso país são objetivo que merece ser discutido.

Ricardo Kenzo é chairperson do Simpósio SAE Brasil de Veículos Elétricos e Híbridos, vice-presidente do Instituto de Engenharia e integrante do Conselho de Inovação e Competitividade da Fiesp.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.