Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

Celebramos hoje a festa da Padroeira do Brasil: Nossa Senhora Aparecida. Nesta solenidade, o Evangelho (Jo 2,1-11) nos propõe a passagem das Bodas de Caná da Galileia, em que vemos claramente a intercessão de Maria na realização do primeiro milagre de Jesus. A presença de Maria, como intercessora no mundo, continua a mover muitos corações para o seu Filho. Quem visita Aparecida e caminha pelas salas dos milagres confirma essa presença atuante de Maria na vida do povo brasileiro e o carinho de Mãe que ela tem para com seus filhos, não desamparando ninguém na hora da aflição.

É sempre emocionante revisitar a história dos três pescadores, da aparição da imagem nas suas redes e do milagre dos peixes num período de escassez. O Rio Paraíba foi o cenário desse evento em que Nossa Senhora decidiu entrar na vida do povo brasileiro de forma simples e singela, pelas mãos de pescadores, para realizar as palavras do seu Magnificat: "porque olhou para a humildade de sua serva... e exaltou os humildes" (Lc 1, 48.52).

No milagre das Bodas de Caná, Maria se mostra como mãe presente e atenta as necessidades dos seus filhos. Jesus manifesta que ainda não havia chegado a sua hora (Jo 2, 4) e, mesmo assim, realiza o milagre. A voz da Mãe ecoou no coração de Deus; sua humildade e docilidade anteciparam a hora da primeira manifestação extraordinária do seu Filho. O carinho e a devoção do povo brasileiro pela Mãe Aparecida comprova essa presença atuante de Maria até os nossos dias. A voz da Mãe continua a ecoar no céu como intercessora permanente do povo de Deus, e nos ensina a confiar no seu Filho: "Fazei tudo o que ele vos disser" (Jo 2, 5).

Neste mês do Rosário, podemos invocar a intercessão de Maria sobre nossas famílias e sobre todo o povo brasileiro para que sejam superadas todas as injustiças e desigualdades, frutos da corrupção e da imoralidade vigentes no país. Invocamos a nossa Mãe Aparecida para que olhe, de maneira especial, para nossas crianças, as primeiras a sofrerem as consequências de uma política social de exclusão. Na data em que as crianças comemoram o seu dia, é necessário lembrar que todos nós somos responsáveis por garantir um mundo viável e habitável para as futuras gerações. E mais: temos a obrigação de garantir dignidade moral para todas as pessoas, desde a concepção até o declínio natural da vida, de maneira especial para os mais vulneráveis. Na imagem das Bodas de Caná, somos convidados a participar da alegria de um Deus que nos proporciona tudo para sermos felizes e realizar seu projeto de amor. Maria é a primeira a colaborar nesse projeto, ensinando-nos a humildade e a fidelidade que devemos ter para alcançarmos o coração de Deus.

Mesmo nos momentos de crise ou de dificuldades, vamos confiar na providência de Deus e, a exemplo dos pescadores do Paraíba, nunca deixemos de lançar nossas redes, pois é pelo trabalho e perseverança que o povo brasileiro vai garantir um país melhor para suas crianças e mais dignidade para seus cidadãos. Que Nossa Senhora Aparecida ilumine nossos caminhos e interceda por todos os brasileiros e brasileiras para que construam uma sociedade mais justa, solidária e fraterna.

Dom Rafael Biernaski, bispo auxiliar e administrador diocesano da Arquidiocese de Curitiba

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]