Fachada do Congresso Nacional.
Fachada do Congresso Nacional.| Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

Bom dia!

Para começar. A quarta-feira (20) foi um dia de boas notícias para quem espera mudanças na legislação que garantam a prisão em segunda instância. A Comissão de Constituição e Justiça da Câmara aprovou uma PEC sobre o assunto. E, no Senado, mesmo com a CCJ local adiando a votação, parlamentares construíram acordo para o avanço de um projeto sobre o mesmo tema. As informações são do correspondente Olavo Soares.

Nossa opinião. No editorial destacamos a ida da PEC Paralela da Previdência à Câmara. Cientes de que a proposta original da reforma da Previdência tinha sofrido algumas alterações importantes durante sua tramitação na Câmara, os senadores decidiram elaborar esta PEC. Porém, mesmo com a eventual aprovação, sobrarão arestas para serem aparadas no futuro:

“Mais cedo ou mais tarde, será preciso rediscutir idades mínimas, ou mesmo a adoção de um sistema de capitalização”

De olho no STF. O julgamento do Supremo Tribunal Federal sobre o compartilhamento de dados bancários e fiscais, obtidos por órgãos de controle, com o Ministério Público foi interrompido. Até agora, apenas Dias Toffoli concluiu seu voto. Veja os detalhes, por Kelli Kadanus.

O mais importante de ontem no Brasil

Economia

A repórter Fernanda Trisotto explica como o gasto com funcionalismo pela União pode cair até 2030. A projeção da Instituição Fiscal Independente, ligada ao Senado, aponta que as despesas com servidores podem passar dos atuais 4,4% em relação ao PIB para 2,3% em 2030. Veja aqui os motivos.

Mundo

Bolívia. A presidente interina da Bolívia apresentou ao Congresso um projeto para reorganizar o órgão eleitoral e convocar novas eleições. Enquanto isso, Evo Morales disse do México, onde está asilado, que está disposto a abrir mão de participar da próxima eleição se puder voltar para a Bolívia terminar o seu mandato.

Ainda ontem, o governo interino da Bolívia divulgou um vídeo que supostamente mostra uma conversa telefônica entre Evo Morales e um sindicalista em que a voz identificada como a de Morales orienta o interlocutor a bloquear cidades para que não entre comida.

Estados Unidos. Em depoimento no processo de impeachment contra Donald Trump, o diplomata americano Gordon Sondland confirmou que pressionou o governo da Ucrânia por ordem expressa de Trump. Ele implicou também vários nomes do alto escalão do governo dos EUA no caso. Entenda como esse depoimento prejudica a defesa dos republicanos.

Para inspirar

Como quatro garotos resgataram dois nadadores que se afogavam no mar. Os adolescentes estavam surfando nos EUA quando fizeram uma pequena pausa. Foi então que começaram os gritos frenéticos por ajuda. Leia o relato completo na reportagem traduzida do The Washington Post.

Tenha um ótimo dia!

1 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]