Quando a taxa básica de juros cai um ponto porcentual o Tesouro Nacio­­nal economiza R$ 8,85 bilhões no período de 12 meses. A queda de qua­­tro pon­­tos porcentuais da Selic no primeiro semestre de 2009 foi uma bênção para as contas públicas, propiciando a economia de R$ 40 bilhões. Isso é mais do que o governo gasta em investimentos anuais. Portanto, nasceu aí a oportuni­­dade para que o país fizesse o maior programa de obras de infraestrutura tão necessárias para um desenvolvimento econômico mais rápido. Porém as corporações estatais e grupos com alto poder de pressão estão levando o governo a gastar todo esse dinheiro com aumentos salariais. O agravante é que, uma vez elevados, os sa­­lários ficam lá em cima, e a taxa de juros po­­de, por pressão inflacionária, um dia voltar a su­­bir. O erro tem motivos políticos e econômicos. As ra­­zões políticas passam pela ânsia do PT de eleger o sucessor de Lula e as razões econômicas passam por uma incompreensível omissão da equipe econômica.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]