i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Editorial

A prisão após condenação em segunda instância volta ao Supremo

  • PorGazeta do Povo
  • 15/10/2019 18:00
Estátua da Justiça do STF
Estátua da Justiça em frente ao Supremo Tribunal Federal (STF).| Foto: José Cruz/Agência Brasil

O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Dias Toffoli, marcou para esta quinta-feira, dia 17, o julgamento das ações declaratórias de constitucionalidade (ADCs) 43, 44 e 54, que tratam do momento a partir do qual fica autorizado o início do cumprimento da pena de prisão. O entendimento atual, que vigorou no país até 2009 e voltou a valer em 2016, é o de que a prisão pode ocorrer já com a condenação na segunda instância, ou seja, pelos colegiados nos Tribunais Regionais Federais (TRFs) ou nos Tribunais de Justiça (TJs) estaduais. Apenas no intervalo entre 2009 e 2016 vigorou o entendimento de que a pena só poderia começar a ser cumprida após o esgotamento de todos os recursos em todos os tribunais, inclusive os superiores (STJ e STF).

Este momento chegaria mais cedo ou mais tarde, já que havia grande pressão por parte do ministro Marco Aurélio Mello, relator das três ações, para que elas fossem colocadas em pauta. O ministro chegou a extrapolar os limites quando, em dezembro de 2018, decidiu sozinho pela soltura de todos os que estivessem presos após condenação na segunda instância, mas sem o trânsito em julgado, atropelando a jurisprudência da corte em um desvario logo corrigido por Toffoli. No entanto, com a condenação e o pedido de prisão do ex-presidente Lula, o julgamento ganhou uma carga política enorme que tornava desaconselhável a resolução da controvérsia naquele momento. Desde então, Lula já teve sua primeira condenação – a do tríplex do Guarujá – confirmada no STJ, e tem a perspectiva de passar em breve para o regime semiaberto, o que ameniza em parte o perigo de “personalização” da decisão, embora esse risco possa retornar caso o ex-presidente acumule novas condenações nos processos a que ainda responde – um deles, o do sítio de Atibaia, já teve condenação em primeira instância e aguarda o julgamento do recurso no TRF-4.

O marco da segunda instância é o mais adequado: ao mesmo tempo em que esgota a análise das provas, garante ao réu a possibilidade de dois julgamentos, resguardando o direito à ampla defesa

O que está em jogo é a interpretação do artigo 5.º, LVII, da Constituição, segundo o qual “ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória”, bem como o artigo 283 do Código de Processo Penal – “Ninguém poderá ser preso senão em flagrante delito ou por ordem escrita e fundamentada da autoridade judiciária competente, em decorrência de sentença condenatória transitada em julgado ou, no curso da investigação ou do processo, em virtude de prisão temporária ou prisão preventiva”. A questão é altamente controversa e, enquanto não se aprovar uma emenda constitucional deixando o texto constitucional mais claro, há bons argumentos de ambos os lados.

Uma das alas considera que, ao exigir o “trânsito em julgado de sentença penal condenatória” para que alguém seja considerado culpado, a Constituição estaria vedando também o início do cumprimento da pena de prisão (com exceção, é claro, das hipóteses de prisão em flagrante, preventiva ou provisória, todas previstas no CPP), enxergando a imputação de culpa e o cumprimento da pena como indissociáveis. No entanto, quem defende a aplicação da pena após a condenação na segunda instância – prática, aliás, adotada na maioria dos países democráticos onde não há ameaça alguma ao direito de defesa – argumenta que a análise dos elementos de culpabilidade termina ali, pois os tribunais superiores não analisam provas, mas apenas questões processuais. No caso recente dos julgamentos da Lava Jato anulados pelo STF, por exemplo, as decisões não inocentaram os acusados previamente considerados culpados; elas anularam os julgamentos, que deverão ser refeitos Em outras palavras, quando um TRF ou TJ condena alguém, a culpa já está estabelecida.

Foi este o entendimento do ministro do STF Néri da Silveira, a quem coube relatar a primeira ação sobre o tema após a promulgação da Constituição. Em 1991, ele escreveu que “mantida, por unanimidade, a sentença condenatória, contra a qual o réu apelara em liberdade, exauridas estão as instâncias ordinárias criminais, não sendo, assim, ilegal o mandado de prisão que órgão julgador de segundo grau determina se expeça contra o réu”, e foi seguido pela maioria dos colegas da corte. Este trecho foi citado pelo relator Teori Zavascki durante o julgamento de fevereiro de 2016 que retomou o entendimento original, que tinha sido revertido em 2009. Zavascki ainda acrescentou que “é nesse juízo de apelação [a segunda instância] que, de ordinário, fica definitivamente exaurido o exame sobre os fatos e provas da causa, com a fixação, se for o caso, da responsabilidade penal do acusado”, e que “tendo havido, em segundo grau, um juízo de incriminação do acusado, fundado em fatos e provas insuscetíveis de reexame pela instância extraordinária [os tribunais superiores], parece inteiramente justificável a relativização e até mesmo a própria inversão, para o caso concreto, do princípio da presunção de inocência até então observado”.

O marco da segunda instância nos parece o mais acertado justamente porque, ao mesmo tempo em que esgota a análise das provas que podem condenar ou inocentar o réu, garante-lhe a possibilidade de dois julgamentos, envolvendo um grupo de magistrados. O direito à ampla defesa fica resguardado, e não se nega a possibilidade de recursos nos tribunais superiores, mas ao mesmo tempo evita-se que esses recursos se transformem em mera ferramenta protelatória para impedir que uma pessoa pague pelos crimes cometidos e cuja responsabilidade está definida pelo duplo grau de jurisdição.

Como afirmamos, em uma questão dependente de interpretação como é esta, o Supremo não estará indo além de suas funções caso retome o entendimento de 2009 e volte a exigir o esgotamento de todos os recursos nos tribunais superiores para que alguém comece a cumprir uma pena de prisão. Mas é muito provável que, ao adotar essa definição, acabe contribuindo menos para fortalecer o direito à ampla defesa e mais para criar oportunidades de impunidade – como, aliás, ocorreu com o fazendeiro pivô da decisão de 2009, condenado em duas instâncias por balear um jovem, mas que jamais chegou a cumprir a pena a ele imposta por tentativa de homicídio, já que o crime teve sua prescrição declarada pelo STJ em 2014.

22 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 22 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

  • L

    Luca

    ± 0 minutos

    Se anularem a prisão em segunda instância, além de soltar 190 mil criminosos, o estado (nós), ainda vai ter que pagar indenização pelo tempo que ficaram presos.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • D

    Dyego Moura Barbosa

    ± 19 horas

    Já perceberam que é justamente na Suprema Corte que a constituição parece não valer nada?

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • G

    Giancarlo

    ± 19 horas

    Apenas entre 2009 e 2016 é que o STF passou a prender somente com a decisão em terceira instância. TODOS os outros anos, já se podia prender em segunda instância. Preciso perguntar quem estava no governo entre 2009 e 2016?

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • J

    João Mello

    ± 24 horas

    O STF faz qualquer tipo de malabarismo retórico para atender a interesses pouco republicanos. Pouco importa a constituição.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • I

    Isabel

    ± 1 dias

    bandidos do supremo querendo liberar bandidos presos. quanto $$$ será que os bandidos de toga receberam???

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • M

    MAURO FONSECA DE MACEDO

    ± 1 dias

    Hoje o STF decide se vai continuar existindo ou se já podemos mandar o cabo e o soldado

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    1 Respostas
    • A

      Ae Carvalho

      ± 21 horas

      ... em um jipe!

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • J

    Jair Lenzi

    ± 1 dias

    Sorte do lulaladrao. Esse tem 11 advogados no STF sob a batuta de gilmar mendes a quem se dirige todo pedido de soltura de gente importante. Decididamente ele esta a serviço de uma causa/cruzada nem q isso importe em reescrever a constituição. Mas tem tbem a omissao dos senadores preocupados em salvar-se e o pres q ha salvou quem interessava. Entao pau no lombo do povo

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • Z

    Zyss

    ± 1 dias

    Passou da hora de chutar a bunda desses caras.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • R

    Randulfo da Silva Pereira

    ± 1 dias

    Randulfo S. Pereira - Sinceramente não entendo o trabalho do STF , côrte máxima do País, guardião da CF. Primeiro dá pareceres favoráveis à prisão em segunda instância, depois, e agora, com prisão de muitos "tubarões da política e da economia", acha necessário rediscutir essa posição. O que nós "brasileiros comuns" deduzimos: que há "direitos" e DIREITOS. Logo o que diz nossa CF : "todos são iguais perante a lei", vale o que?

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • D

    D. L. Paiva

    ± 1 dias

    Esperemos pelo pior... infelizmente.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • L

    LAURI MARGRAF

    ± 1 dias

    O que está em evidência são os interesses dos tubarões do colarinho branco, aqueles que conseguem contratar os melhores e mais caros advogados, para interpor intermináveis recursos. Aquele pobre miserável que depende de um advogado dativo, nomeado para a sua defesa, não consegue na maioria das vezes, interpor um recurso para o segundo grau, ficando a questão ja decidida no primeiro grau. A possibilidade de execução penal já em segundo grau, trouxe, ainda que de forma tênue, maior igualdade de tratamento na justiça, pois os poderosos começaram a sentir logo o peso de uma condenação.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • A

    Afonso Celso Frega Beraldi

    ± 1 dias

    As ultimas declaracoes de Gilmar Mendes, o Laxante, em TODAS as entrevistas que deu a emissoras de rádio e televisão e a podre Folha de SP, falam abertamente em "usar as provas obtidas de forme ilicita pelos ararahackers" contra Sergio Moro e a Forca Tarefa, e a libertar Lula mesmo, sem dó nem piedade da decência da nação brasileira. Nem que para isso seja necessário soltar 200 mil presidiários com os mais variados graus de periculosidade a sociedade, para soltar apenas um *********: Lula. #STFPODRE

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • M

    Mário

    ± 1 dias

    Estes caras do STF não tem mais nada que fazer...

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • L

    LUIZ APARECIDO DE CARVALHO

    ± 1 dias

    Se revogarem , nossa nação vira mesmo a república das bananas, e só os maiores e piores criminosos serão beneficiados , pois são os que tem mais recursos roubados do povo e condições de contratarem os maiores escritórios de advogados inclusive os de parentes de ministros que não vêem nenhum problema nisso .

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • S

    SANDRO

    ± 1 dias

    Agora, com as mãos já bem molhadinha$$$, os ******** do STF vão conseguir libertar seus comparsas. Vergonha!!!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • F

    Fabio

    ± 1 dias

    Basta de impunidade. O STF não é supremo. A instabilidade causará guerra civil.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • F

    Freitas

    ± 1 dias

    Temos que lançar uma campanha urgente para que algum ministro do STF peça vista do processo e segure esse julgamento cujo desfecho poderá nos proporcionar um verdadeiro circo dos horrores. Com essa composição de ministros, o STF vai completar o serviço começado pelo PT e nos transformar em uma Venezuela.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • S

    STF

    ± 1 dias

    Vão votar o mesmo assunto pela enésima vez até chegar no preço e mudar o voto.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • N

    Neto

    ± 1 dias

    Que colocou um absurdo desses na Constituição? Com que propósito?

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    1 Respostas
    • J

      João Carlos Carvalho

      ± 1 dias

      Os esquerdistas ******* que vocês elegeram ,sempre agem para favorecer os criminosos e contra os cidadãos !

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]