i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Editorial

O Renda Cidadã e o risco de uma solução improvisada

  • PorGazeta do Povo
  • 14/10/2020 17:52
Bolsonaro, Márcio Bittar (esq) e Ricardo Barros (dir): após anúncio, Renda Cidadã teve de ser detalhado por controvérsias no financiamento
Jair Bolsonaro, o senador Márcio Bittar (esq) e o deputado Ricardo Barros (dir): após anúncio, forma de financiar Renda Cidadã enfrentou diversas críticas.| Foto: Alan Santos/Presidência da República

A péssima reação dos mercados ao anúncio de que o Renda Cidadã seria bancado com dinheiro do Fundeb e o represamento de parte dos recursos destinados ao pagamento de precatórios não serviu de aprendizado nem para o Congresso, nem para o presidente Jair Bolsonaro, o principal interessado em tirar do papel um substituto para o Bolsa Família. Executivo e Legislativo, de comum acordo, decidiram deixar para dezembro a discussão sobre como, afinal, o programa será bancado, prolongando a incerteza sobre o compromisso de Bolsonaro com o ajuste fiscal, até agora manifestado em transmissões e publicações nas mídias sociais, mas nem sempre confirmado nas decisões que toma.

A matemática é bastante simples: a regra do teto de gastos estipula um montante máximo para as despesas do governo em 2021, e o custo do Renda Cidadã, caso ele tenha o valor e a abrangência que Bolsonaro deseja, não cabe neste limite sem que haja um corte equivalente em despesas que já estão programadas no orçamento do ano que vem – é importante lembrar que isso independe de quaisquer receitas extraordinárias que o governo venha a ter, por exemplo com privatizações e concessões. No entanto, Bolsonaro vem resistindo a todas as opções que a equipe econômica vinha lhe apresentando para fazer caber o Renda Cidadã dentro do limite do teto, incluindo o fim de benefícios considerados ineficazes. Tamanha resistência levou à criação de mais uma jabuticaba envolvendo o Fundeb e os precatórios. No fim, tratava-se de criar nova despesa sem nenhum corte, o que o mercado absorveu muito mal, com uma disparada na curva de juros longos – que refletem a confiança na capacidade de o governo honrar seus compromissos no longo prazo.

2021 precisa marcar o reencontro do país com a responsabilidade na gestão do gasto público, pois haverá muito estrago a ser consertado

Com a suspensão das discussões, continua valendo a combinação que valeu a desconfiança dos investidores e reforça as suspeitas de que o teto de gastos acabará sendo desrespeitado em 2021. A emenda constitucional que estabeleceu o teto não proíbe o governo de furá-lo, mas impõe uma série de restrições caso isso ocorra, como proibição de concursos e contratações, por exemplo. Furar o teto às claras já representaria um péssimo sinal a respeito do futuro do ajuste fiscal; pior ainda seria tentar burlá-lo com subterfúgios, ou até mesmo alterar a regra por meio de uma nova emenda à Constituição para acomodar demandas como a gerada pelo Renda Cidadã.

Mesmo o argumento de que no momento não há discussão possível por causa do calendário eleitoral não se sustenta. Ainda que muitos parlamentares tenham aderido ao lamentável costume do “recesso branco”, deixando de lado sua atividade parlamentar para disputar prefeituras ou empenhar-se nas campanhas de seus apadrinhados, este tempo seria fundamental para que a equipe econômica e o senador Márcio Bittar (MDB-AC), relator tanto do Orçamento quanto da PEC Emergencial, acertassem os ponteiros quanto a uma proposta viável politicamente e sólida do ponto de vista fiscal. Assim, quando deputados e senadores voltassem ao trabalho, teriam em mãos, para iniciar as discussões, algo bem melhor que o remendo sugerido no fim de setembro. Esse entendimento até parecia estar sendo já costurado, mas cada adiamento deixa subentendido que não há consenso sobre uma alternativa de financiamento do Renda Cidadã. E, sem isso, há um risco considerável de que, com pouco tempo para debater, os congressistas acabem se contentando com outra solução improvisada que terá de ser aprovada a toque de caixa.

O Renda Cidadã é um grande teste para o compromisso de Jair Bolsonaro com o ajuste fiscal. Se 2020 está perdido por causa dos gastos necessários para mitigar os efeitos da pandemia do coronavírus, 2021 precisa marcar o reencontro do país com a responsabilidade na gestão do gasto público, pois haverá muito estrago a ser consertado. Sem que o investidor confie na capacidade brasileira de botar suas contas em ordem, não haverá recuperação possível – nem em V, nem em U, nem em qualquer outra letra do alfabeto.

2 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 2 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

  • F

    Freitas

    ± 24 horas

    O dólar agradece. Quanto mais insistirem em "arrebentar o Orçamento, maior o valor do dólar.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • A

    Austríaco-PR

    ± 1 dias

    Apoio o presidente, dito isto, ótimo texto. De minha parte esse renda cidadã deveria ser cancelado, bem como o auxilio covid em janeiro. A economia apresenta uma boa recuperação e não faz sentido manter esta despesa.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]